Elefante é morto por caçadores em reserva natural no Camboja


Um elefante foi morto por caçadores em uma reserva natural do Camboja. O animal estava com a cauda e as presas cortadas, segundo as autoridades do país, que é um dos maiores centros de tráfico de animais do mundo. O elefante asiático integra a lista de espécies em risco de extinção da União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN).

Autoridades examinam o cadáver de um elefante no leste do Camboja, em data não divulgada – Ministério do Meio Ambiente do Camboja/AFP

De acordo com Neth Pheaktra, porta-voz do Ministério do Meio Ambiente, o elefante, que era macho, tinha “um impacto de bala abaixo do olho direito”. As autoridades trabalham para identificar os caçadores.

O corpo do animal, morto há dez dias, foi encontrado no domingo (24) em uma reserva na província de Mondulkiri. As informações são da AFP.

Os elefantes são caçados na Ásia principalmente por causa das presas, mas também devido aos pelos da cauda, considerados amuletos e usados na fabricação de joias. Somado à caça, o desmatamento fez com que a população de elefantes caísse drasticamente no Camboja, onde vivem atualmente apenas 400 animais da espécie, de acordo com a ONG Mondulkiri Project.

Produtos fabricados a partir de escamas de pangolim e chifres de rinoceronte são muito procurados no Vietnã e na China, onde são usados na medicina tradicional. Pelo Camboja, esses produtos são transportados. A escolha pelo país se dá pela dificuldade que os traficantes encontram na vizinha Tailândia, que exerce uma repressão mais severa contra o tráfico.

Em dezembro de 2018, mais de mil presas de elefante foram encontradas por autoridades em um contêiner procedente de Moçambique.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>