Audiência pública discute retorno das provas equestres em Sorocaba (SP)


A audiência pública que discutiu a retomada da realização de provas equestres em Sorocaba (SP), realizada na noite desta sexta-feira (16), na Câmara dos Vereadores, terminou sem uma decisão concreta sobre o assunto.

O projeto é do vereador Luís Santos (Pros), que quer resgatar os eventos de cavalos na cidade, proibidos por lei municipal em 2007. Segundo ele, não faz sentido proibir algumas modalidades equestres sendo que outras são realizadas normalmente na cidade, como as corridas no Jockey Club de Sorocaba.

Foto: Reprodução/TV TEM

“É tão confusa a definição que está nessa lei, porque, pelo que eu saiba, corrida de cavalo é prova equestre e já existe na cidade, mas existem outras provas equestres também que eu apresentei na proposta para se discutir”, explica o parlamentar.

O plenário ficou lotado, com quase 200 pessoas, entre apoiadores de provas equestres e protetores dos animais. Vaias, aplausos e gritos marcaram a audiência pública, que chegou a ser interrompida por diversas vezes para os ânimos de ambos os lados do debate serem acalmados.

A proposta do vereador Luís Santos é que sejam determinadas regras para a realização de provas esportivas com cavalos. Podendo assim liberar a realização das modalidades de marcha de muares e cavalos, ranch sorting, rédeas, três tambores, apartação, ecoterapia, laço, hipismo e turismo equestre.

Ativistas apresentaram fotos e vídeos de situações de maus-tratos em provas para justificar a não retomada dos eventos na cidade.

“Somos contra o retrocesso que representa esse projeto. Há mais de 10 anos Sorocaba decidiu, por legislação municipal, que é contra esse tipo de prova, porque ela representa em si uma crueldade com os animais, seja na preparação ou no evento em si”, explica o ambientalista Gabriel Bitencourt.

No final da audiência, o vereador Luís Santos propôs a criação de um fundo com parte do valor arrecadado com os eventos equestres da cidade. O dinheiro seria usado para montar um “Samu Animal”, mas a proposta foi rejeitada pelo público.

Nota da Redação: provas equestres são práticas exploratórias que tratam cavalos como objetos a serem utilizados para beneficiar e entreter seres humanos e, por essa razão, devem ser proibidas. Animais devem ser vistos como sujeitos de direito e não podem, em hipótese alguma, ser explorados para atender a demandas da sociedade.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

APOIO COLETIVO

MISSÃO

SÃO SEBASTIÃO (SP)

DEMANDA CRESCENTE

CRISE CLIMÁTICA

CRUELDADE

ALERTA

LIBERDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

COVARDIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>