Revogação de portaria impede viagem de servidora que abandonou cão no RS


A servidora pública federal Danielle Busko, técnica em Assuntos Educacionais vinculada à Defensoria Pública da União no Rio Grande do Sul (DPU/RS), que abandonou um cachorro doente em Porto Alegre (RS), foi impedida de viajar para Portugal para fazer um curso de mestrado após a portaria que autorizava a viagem ser revogada pela Defensoria Pública da União. A saída da servidora do país só seria possível agora caso ela pedisse exoneração do cargo.

Foto: Protetores da Zona Sul de Porto Alegre

Danielle abandonou Gordo, como era chamado o cão, em um condomínio no bairro Hípica, na Zona Sul de Porto Alegre. O cão estava com uma bicheira muito grande no olho e bastante debilitado. Ele foi resgatado por um morador do loteamento Moradas do Sul, passou por vários exames e foi internado em estado grave. Além do ferimento, o cachorro estava com cinomose. Apesar dos cuidados que recebeu, o animal não resistiu e morreu.

Diante da gravidade do caso, o Ministério Público decidiu iniciar uma investigação. “Um caso grave como esse, com morte, não se vê todo dia. Instauramos um procedimento civil para investigar a situação e até cobrar uma ação por danos morais coletivos”, contou ao jornal GaúchaZH a promotora de Justiça de defesa do meio ambiente Ana Maria Marchesan.

Foto: Divulgação

De acordo com Ana Maria, o caso deve ser encaminhado ao juizado especial criminal para que uma ação criminal seja iniciada contra a tutora, que seria servidora da Defensoria Pública da União no Rio Grande do Sul (DPU/RS). Ela pode, caso condenada, ser penalizada com detenção de três meses a um ano e multa. A pena pode ser agravada devido à morte do animal.

A deputada estadual Regina Becker Fortunati foi a responsável por ingressar com uma representação contra a servidora no Ministério Público. Moradora do bairro Ipanema, a tutora de Gordo foi vista por uma vizinha pegando o animal, enrolando-o em um lençol e colocando-o no porta-malas do carro dela. Minutos depois, a mulher foi flagrada por câmeras de segurança de um condomínio no bairro Hípica abandonando o cachorro em um gramado.

Foto: Protetores da Zona Sul de Porto Alegre

“O vigilante viu e avisou a uma moradora. O cachorro chorava, gemia de dor. Foi uma situação muito desgastante. Fiz a representação no MP na certeza de que tomarão providências legais para que ela seja citada e responda pelo crime”, afirmou Regina.

Um exame de necrópsia deve apontar as causas da morte do animal.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>