Cão resgatado do lixo é explorado em buscas em Brumadinho (MG)


Um cachorro sem raça definida encontrado em um caçamba de lixo em São Paulo e adotado há dois anos está sendo explorado para procurar por corpos e sobreviventes em Brumadinho (MG) após o rompimento de uma barragem da Vale.

Resgate (Foto: Mariana Queiroz/GloboNews)

Ao perceberem que o animal tem um bom faro, os tutores decidiram ensinar a ele comandos anti-naturais para que ele participasse de ações que tem o único propósito de beneficiar humanos. O treinamento foi feito com a ajuda de um policial amigo da família. “Tem um policial colega nosso, ele é que treina ele na realidade, eu também faço o treinamento passado por ele (…) para achar corpos”, explicou o tutor ao G1.

Resgate, como é chamado, foi colocado no grupo de voluntários Resgate Sem Fronteiras, do qual também faz parte seu tutor. A diferença entre humano e animal é que o primeiro tem condição de consentir o trabalho voluntário, enquanto o cachorro participa das ações sem que possa decidir se quer fazer parte delas. Na última quarta-feira (30), o animal participou das atividades desenvolvidas pelo Corpo de Bombeiros em Brumadinho.

De acordo com o tutor, Resgate não está no máximo de sua capacidade. Ele afirma que o animal está em 80%, o que indica que pode haver a pretensão de exigir ainda mais do cachorro para que ele atinja a meta de 100%.

Thor (Foto: Reprodução/Instagram)

Além de Resgate, outros 21 cachorros estão sendo explorados para buscar sobreviventes e corpos em conjunto com os bombeiros. Os militares confirmam que a operação oferece riscos à saúde dos animais e que, por isso, eles são “monitorados frequentemente”.

Entre os cachorros do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais está Thor, da raça border collie. Ele tem cinco anos de idade e além de Brumadinho, já foi obrigado a participar de ações de buscas em outras localidades, como Mariana. O sargento responsável pelo animal afirmou ao jornal Extra que o cachorro toma suplementos vitamínicos para que possa integrar a equipe dos bombeiros, o que pode indicar que as ações das quais é forçado a participar são muito exaustivas para ele.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>