Amizade improvável

Mulher forma um elo incrível com gafanhoto pequeno e ferido

Chelsea Euliano passeava por um parque em Oceanside, Nova York, com sua irmã e seu cachorro quando ouviu algo que mudaria sua vida.

Foto: Reprodução | Facebook

Em setembro do ano passado, Chelsea Euliano, passeava por um parque em Oceanside, Nova York, com sua irmã e seu cachorro quando ouviu algo que mudaria sua vida. Era um som alto e constante de chichiar. Quando Chelsea olhou ao redor, encontrou um pequeno gafanhoto no chão.

Foto: Reprodução | Facebook

Chelsea viu imediatamente que o gafanhoto estava ferido . “Estava faltando uma pata traseira. Essa coitadinha não pode pular. Está apenas arrastando seu corpo”, disse ela ao The Dodo.

Inicialmente, Chelsea não sabia o que fazer. Ela já havia resgatado muitos animais incluindo cisnes, patos, gambás, gatos e cachorros – mas nunca um inseto . Ela não tinha certeza se queria tocar no gafanhoto.

Mas algo sobre o chichiar persistente da criatura a fez se curvar e estender a mão.

“Eu pensei: Se eu colocar minha mão no chão e ela vier, eu vou ter que pegá-la e salvá-la”, disse Chelsea . “E você acredita? Eu abaixei minha mão e ela se arrastou.

Foto: Reprodução | Facebook

Chelsea viu uma xícara do Dunkin’ Donuts no chão, então ela colocou o gafanhoto dentro e o levou para casa.

Ela estava ansiosa para ajudar o gafanhoto, agora chamado Duncina, mas não sabia como. Então Chelsea entrou em contato com um entomologista e pediu conselhos.

Eles disseram que geralmente eles morrem pois a vida útil é de maio a setembro.

“Acho que ela vai viver mais e acho que posso cuidar bem dela”, disse Chelsea ao entomologista  .

Então ela pegou um aquário de vidro, encheu de terra, galhos, feno e alfafa. Também garantiu que Duncina recebesse alimentos saudáveis, incluindo trevos, milho, folhas de erva-doce, abacaxis, maçãs, bananas e até mesmo Cheerios.

Foto: Reprodução | Facebook

“Eu segurava um Cheerio ou um pedaço de milho e ela literalmente comia da minha mão”, disse Chelsea.

“Ela literalmaente precia estar sorrindo. Ela era a coisinha mais fofa. Acabei chamando-a de Duncina Bambina ou minha pequena Raisinette porque sua cabeça parecia minúscula e enrugada como uma pequena passa”.

Até a mãe de Chelsea se apegou a Duncina.

Foto: Reprodução | Facebook

“No começo, minha mãe dizia que não acreditava que eu tinha um gafanhoto como animal doméstico, mas quando ela ia ao supermercado, sempre comprava erva-doce para Duncina”.

Quando Duncina colocou ovos dentro do terrário, Chelsea sabia que tinha que ajudar também a amiga do gafanhoto.

“Eu tenho que cuidar desses ovos. Então levei os ovos para fora e meu pai me ajudou a cultivá-los.

Foto: Reprodução | Facebook

Quando o tempo estava quente o suficiente, Chelsea levava Duncina para pegar ar fresco – e o gafanhoto colocava ainda mais ovos e os enterrava.

“Eles costumam botar ovos, e esse é o fim de sua vida útil”, disse Chelsea. “Os ovos vão realmente congelar no inverno.”

Mas Duncina não morreu imediatamente. Ela durou até setembro, outubro e a maior parte de novembro. Mas no dia 17 de novembro, ela se foi.

“Eu tinha um casamento para ir naquele dia, mas acordei e a alimentei”. Eu estava me preparando e sempre olhava para o seu pequeno aquário. Ela estava no ramo … mas quando a vi, ela já tinha partido”.

Chelsea ficou muito chateada – mais do que ela jamais imaginou que poderia ficar por um inseto.

Duncina partiu, mas seu legado continua vivo. Ela não apenas mudou a mente de Chelsea sobre os insetos, mas também mudou a mente de outras pessoas.

Foto: Reprodução | Facebook

“Muitas pessoas não gostam de insetos, então pisam neles e … sentem medo”. “Mas quando me viram no Facebook com Duncina, eles disseram: Você realmente mudou minha opinião sobre gafanhotos. Eu não posso acreditar em como ela é fofa. ”

Duncina até inspirou a prima de Chelsea a resgatar um gafanhoto também. “Minha prima tinha um gafanhoto preso no para-brisa e ela realmente resgatou e o soltou em um pomar de maçãs”.

Chelsea está ansiosa com a chegada da primavera, quando os ovos de Duncina devem eclodir, em maio.

“Não sei se algum dia verei os bebês, se algum dia estarão no jardim. Mas estou esperando”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui