INDÚSTRIA CRUEL

Cachorros são encontrados mortos em pet shop na Geórgia, nos EUA

Uma investigação secreta realizada pela Humane Society flagrou casos de extrema negligência e abuso de animais numa das lojas Petland localizada na Georgia.

Três cachorros presos numa gaiola de ferro.
Foto: Humane Society

A Humane Society dos Estados Unidos fez uma investigação secreta numa das lojas da franquia Petland e descobriu casos de morte e abuso de cachorros. Uma funcionária da empresa relatou vezes em que chegou ao estabelecimento e encontrou cadáveres de animais, entre outras ocorrências.

Três cachorros presos numa gaiola de ferro.
Foto: Humane Society

A operação lançou um relatório declarando que a Blue Ribbon Puppies de Indiana, EUA, é a fonte de diversos surtos de doenças entre os cachorros vendidos pela Petland na Georgia.

De acordo com John Goodwin, diretor executivo da campanha “Stop Puppy Mills” da Humane Society dos Estados Unidos (HSUS), a Blue Ribbon Puppies é a fornecedora de cinco das seis lojas da Petland localizadas na Georgia. Os surtos de doenças contaminaram mais de uma centena de pessoas.

“Através de vários pedidos baseados na Lei de Liberdade de Informação, nós pudemos determinar que o problema da doença entre os filhotes no ramo de criação de filhotes é sistemático,” disse Goodwin. “Inúmeros criadores de filhotes foram ligados aos surtos. Dito isso, a Blue Ribbon Puppies estava ligada de uma forma significativa a esses surtos de doenças.”

Em fevereiro de 2018, uma emissora de TV local informou que Kate Singleton, funcionária de uma das lojas Petland, ficou gravemente doente depois de ter sido exposta a um filhote infectado pela bactéria Campylobacter. A adolescente foi levada às pressas para o hospital com febre perto de 40°C. “Me senti à beira da morte”, disse ela à emissora depois de passar quatro dias no hospital.

De acordo com o relatório da Humane Society, durante o início de 2018, a Blue Ribbon Puppies vendeu 161 filhotes para as lojas Petland no estado. O relatório disse que muitas das lojas receberam filhotes no mesmo dia, indicando que o mesmo caminhão foi de loja em loja. No total, as cinco lojas da Petland na Geórgia receberam mais de 450 filhotes da Blue Ribbon e outras empresas.

O relatório mostra um exemplo de uma funcionária da loja Petland em Kennesaw, na Georgia. Ela contou à investigadora da Humane Society que às vezes entrava no trabalho e encontrava filhotes que haviam “falecido”. A funcionária disse que isso aconteceu cerca de três vezes durante os quatro meses em que trabalhou lá.

Cachorro morto dentro de um saco preto.
Foto: Humane Society

Após ouvir sobre esses incidentes, a investigadora abriu um saco preto “suspeito” no freezer e encontrou o cadáver de um cachorro. Na mesma loja, os cachorros doentes eram mantidos em salas de isolamento, fora da vista dos clientes, incluindo vários filhotes que estavam tossindo, letárgicos ou com muco escorrendo do nariz.

A Humane Society diz que continua recebendo denúncias de cachorros doentes comprados em lojas Petland de todo o país. A instituição colocou dois investigadores em duas lojas diferentes na Geórgia, em setembro e outubro deste ano.

Um filhote de raça grande que gostava de pular foi mantido em uma gaiola empilhada no chão da loja, de acordo com o relatório. O investigador da Humane Society também relatou ter testemunhado um funcionário derrubando o filhote enquanto tentava tirá-lo da gaiola, fazendo com que ele ganisse de dor repetidas vezes.

Alguns filhotes eram mantidos em gaiolas durante meses, e a maioria deles só eram retirados das gaiolas quando possíveis compradores pediam para brincar com eles. Segundo o relatório, gaiolas que comportavam ao máximo dois, continham quatro ou até cinco filhotes.

Registros obtidos em novembro de 2018 pela HSUS do Departamento de Agricultura da Geórgia indicam que a loja em Kennesaw foi inspecionada várias vezes porque os filhotes estavam doentes com parvovirose, infecções respiratórias e giardíase, doença originada pela ingestão de água contaminada. Em dezembro de 2017, vários filhotes na loja foram colocados em quarentena por infecção.

Garrafa de plástico vermelho com um rótulo escrito entre aspas The Cure.

A investigadora da Humane Society viu vários medicamentos na sala dos fundos da loja Kennesaw, incluindo uma garrafa cujo rótulo estava escrito apenas “A Cura”.

A equipe da loja disse que a mistura foi feita por um supervisor na loja. A garrafa não tinha um rótulo veterinário nem qualquer dos ingredientes ou dosagens listados no rótulo, mas a equipe disse que eles tinham sido instruídos a administrar a substância aos filhotes que tinham baixo apetite, disse o relatório.

A Humane Society diz que os criadores responsáveis ​​não vendem para lojas de animais, porque querem conhecer as famílias que estão levando os cachorros para casa e manter contato em caso de problemas, diz o grupo de defesa dos animais.

A Petland negou todos os casos de abuso e negligência relatados, e se recusou a declarar-se culpada das acusações.

Um caso em Las Vegas, Nevada, inclui um relato de um filhote confinado a uma jaula durante um mês em uma das lojas Petland. Um funcionário alegou a investigadora da HSUS que “eles estavam esperando ele morrer.” O filhote foi enviado de volta à criadora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui