A extinção das renas e a luta para preservá-las


Desde 2007 a província canadense de British Columbia decidiu colocar em prática os planos para salvar os últimos caribus de montanha do mundo, uma espécie de rena selvagem.

Foto: BC FLNRO

Em uma entrevista, o Oficial de Assuntos Públicos Dawn Makarowski, confirmou que os biólogos do governo provincial realocaram com sucesso três renas das manadas de South Selkirk e South Purcells para Revelstoke na semana passada.

O animal remanescente de Selkirk do Sul e outros dois do rebanho de Purcell do Sul foram transferidos para uma instalação perto de Revelstoke para protegê-los dos predadores. As informações são do World Animals News.

“Na semana passada, só conseguimos capturar e mover três renas restantes das manadas ameaçadas. Não conseguimos recuperar os outros três”, disse Makarowski à WAN.

Ainda não foi possível resgatar em segurança os outros animais, entre eles um macho de um ano, nos Purchas do Sul.

Foto: BC FLNRO

Dos 54 rebanhos de renas, nas montanhas do sul da Colúmbia Britânica, infelizmente, dois estão em risco de extinção, pois agora há apenas seis animais restantes entre eles.

“Os animais realocados ficarão na instalação, onde terão chance de sobrevivência, até que possam ser libertados na natureza”.

Todos os três animais capturados estão em boas condições de saúde. As autoridades têm esperanças que eles possam se juntar ao rebanho Columbia-North, que tem uma população estimada de 147 renas. Eles serão monitorados de perto para determinar o momento certo para liberá-los de volta à vida selvagem.

A Província está investindo US$ 27 milhões nos últimos três anos para desenvolver e implementar um extenso Plano Provincial de Recuperação das Renas que incluem: proteger as remanescentes na província, aumentar a proteção do habitat em locais selecionados, restauração de habitats, alimentação suplementar, manejo primário de presas, manejo de predadores e aprimoramento de pesquisa e monitoramento.

Cerca de 400 mil hectares de florestas no sudoeste da província da costa do Pacífico foram acrescidos a uma zona já protegida de 1,8 milhão de hectares, uma superfície global que representará duas vezes o tamanho da Jamaica.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO SOCIAL

AÇÃO SOCIAL

PRECAUÇÃO

ÍNDIA

ESTUDO

ÓRFÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>