Cantor vegano Moby lançará livro de memórias e doará todo o lucro obtido para salvar animais


O músico e ativista vegano, Moby, anunciou o lançamento de seu livro de memórias chamada “Then It Fell Apart”. O livro será lançado em maio – exatamente 20 anos após a estréia de seu álbum mais famoso, “Play”. Todo o lucro obtido com a venda dos livros irá ajudar organizações defensoras dos direitos animais.

cantor moby
Foto: Instagram | Reprodução

“É bastante sombrio”, explicou Moby no Instagram. “Tanto que meu editor me perguntou: ‘Você tem certeza de que quer incluir todas essas coisas?’”

Publicado pela editora Faber Books, com sede no Reino Unido, o livro inclui participações de colegas músicos como David Bowie, Eminem e Lou Reed. Também inclui passagens sobre o presidente Donald Trump e o cineasta David Lynch.

Em junho do ano passado, Moby anunciou sua aposentadoria da turnê para se dedicar à política e ao ativismo pelos direitos animais. Desde então, ele pôs à venda sua propriedade de 1,3 milhão de dólares, e todo o dinheiro será enviado para instituições de caridade.

Moby também abriu uma loja online onde exibiu seu equipamento musical e sua coleção pessoal de discos para levantar fundos em apoio ao grupo de médicos veganos Physicians Committee for Responsible Medicine.

“Then It Fell Apart” será o segundo livro de memórias de Moby, publicado após “Porcelain”, que foi lançado em maio de 2016.

Candidato à presidência

Vegano e ativista pelos direitos  animais há 31 anos, Moby anunciou sua candidatura à presidência dos Estados Unidos neste mês. Ele aproveitou a publicação para criticar os antigos e o atual presidente do país, além de pedir que os eleitores tenham consciência na hora do voto.

“Sou completamente desqualificado (mas isso não impediu Trump ou George W. Bush)”, escreveu em seu texto no Instagram. Ele também afirmou que não fará campanha eleitoral ou arrecadará fundos.

Moby pediu que os eleitores se atentem aos problemas que devem ser discutidos nos próximos governos. Ele citou os subsídios governamentais às indústrias que “envenenam as pessoas”, como a do tabaco, da pecuária e a produção de óleo.

O músico utilizou a plataforma para pedir que seus fãs escolham um candidato que não seja ele, mas alguém que esteja mais preparado que Trump. “Eu concorrerei ao cargo de presidente desde que não precise fazer campanha e que ninguém vote em mim”, afirmou.

Ele encerrou o texto exaltando que cada voto de seus fãs são válidos. “Por favor, não desperdice seu voto em uma celebridade ou em candidatos de terceiros”, pediu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASFIXIA

ATO DE AMOR

GENEROSIDADE

MOÇAMBIQUE

ÍNDIA

MINAS GERAIS

ESTUDO

CONSUMO CONSCIENTE

PROTEÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>