Gato tem vértebra quebrada após ser agredido em São Luís (MA)


Um gato teve uma vértebra quebrada após ser agredido com um chute em São Luís, no Maranhão. O caso é denunciado por entidades de proteção animal. A agressão foi registrada por câmeras do condomínio Eco Space, no bairro Anil.

(Foto: Pixabay / Imagem Ilustrativa)

No vídeo, o gato é visto caminhando e, em seguida, some atrás de uma parede. Depois, o animal aparece se contorcendo de dor e mancando. Um homem é registrado pela câmera, atrás da parede, com uma criança, enquanto o gato é socorrido. O crime de maus-tratos aconteceu na última semana, no dia 23.

A ONG Cães e Gatos de Rua SLZ contou que o gato, chamado Mimi, foi atendido por pessoas que estavam no local. De acordo com a entidade, o agressor riu para os que decidiram prestar socorro ao animal. A suspeita é de que o homem more no condomínio. Um Boletim de Ocorrência foi registrado pelos tutores do gato, com a ajuda da ONG, na Delegacia do Meio Ambiente (DEMA).

Apesar de ter sido socorrido pelas pessoas, o gato ficou dias sem ir ao veterinário porque os tutores não tinham condições financeiras de arcar com os gastos. Após mobilização da entidade, o animal foi atendido por um veterinário no último sábado (26).

“Ele [Mimi] fraturou uma vértebra. O veterinário entrou em contato comigo e disse que a cirurgia é muito complicada e cara, por conta do tamanho do animal, sendo que ele ainda está em fase de desenvolvimento e irá crescer mais. O animal não defeca desde o dia do ocorrido por estar sentindo dores fortes e não consegue se posicionar para defecar”, contou ao G1 Sylvia Mello, uma das diretoras da ONG.

A presidente da Comissão de Defesa e Proteção dos Animais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Camila Maia, afirmou que providências estão sendo tomadas.

“Nós tomando as providências para enviar o ofício para a DEMA (Delegacia do Meio Ambiente). O B.O já foi feito, foi solicitado as imagens, o morador já foi identificado. Assim que tivermos mais informações, vamos comunicar à sociedade”, disse.

De acordo com Camila, a pena para o agressor será pequena porque o crime de maus-tratos a animais é considerado de menor potencial ofensivo.

“O flagrante já passou, mas mesmo que tivesse, a pena para este caso é de três meses a um ano. Infelizmente, é um crime de pequeno potencial ofensivo que a gente luta para que tenha uma majoração para essa pena”, concluiu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO

AVANÇO

COMPORTAMENTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>