Paralisação do governo dos EUA afeta vida selvagem do país


Em meio à mais extensa paralisação do governo norte-americano da história, estabelecida por Donald Trump, não são só os funcionários do governo que estão em apuros. Animais selvagens estão sofrendo com o descaso das autoridades devido ao acúmulo de lixo em seus habitats. Diversas regulamentações ambientais estão sendo negligenciadas e medidas de auxílio a espécies em extinção foram impedidas pela paralisação.

lobo
Foto: Born Free USA

O Serviço Nacional de Parques emprega milhares de pessoas que são responsáveis ​​por supervisionar a vida selvagem e os regulamentos de proteção ambiental. Desde o início da paralisação, cerca de 30 mil guardas florestais ficaram desempregados, e, no entanto, aproximadamente dois terços dos parques do país permaneceram abertos ao público. Com pouca ou nenhuma equipe no local, o resultado foi um descaso significativo com a manutenção e higiene dos locais.

“As consequências de manter muitos dos nossos Parques Nacionais abertos e ainda sem pessoal são realmente devastadoras”, disse Angela Grimes, CEO interina da Born Free USA, líder global em bem-estar animal e conservação da vida selvagem. “Sem pessoal disponível, não apenas a segurança humana é comprometida – com resultados fatais -, mas também há relatos de atividades ilegais: vandalismo, uso de veículos fora de estrada, acampamentos ilegais e uso de drones voadores. Essas atividades, assim como o acúmulo desenfreado de lixo humano, ameaçam severamente a sobrevivência da nossa vegetação nativa e dos animais que nela habitam.”

No Parque Nacional Joshua Tree, na Califórnia, vários danos foram relatados. Árvores estão sendo derrubadas, rochas estão sendo vandalizadas com tinta spray tóxica, e grandes pilhas de lixo continuam a se acumular no habitat de vários animais selvagens. Danos semelhantes estão ocorrendo em todos os parques nacionais do país.

Como as principais agências federais, como o Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, o Serviço de Pesca e Vida Selvagem dos EUA, o Serviço Geológico dos EUA e o Serviço Nacional de Parques estão suspensos, não há nenhum disponível para sustentar as leis ambientais básicas. As consequências a longo prazo da paralisação dessas agências podem levar ao surto de doenças e à perda de várias espécies ameaçadas.

Estudos de espécies importantes paralisados

Juntamente com seus efeitos prejudiciais nos habitats da vida selvagem, a paralisação está afetando uma série de projetos de pesquisa científica, incluindo o mais longo estudo contínuo sobre a qualidade da água em um parque nacional dos EUA, que monitorou córregos na bacia do Parque Nacional de Shenandoah deste 1979. O estudo de lobos e alces no Parque Nacional Isle Royale que ocorre há seis décadas, também sofreu um hiato de um ano.

“A fim de gerenciar e conservar efetivamente nossos recursos naturais, sempre dependemos de decisões baseadas na ciência, mas essa paralisação interrompeu esse processo, e os efeitos serão sentidos muito depois de sua retomada”, disse Grimes. “Pesquisas e estudos científicos importantes estão estagnados, e dados importantes estão sendo perdidos irrevogavelmente. Esses estudos apoiados pelo governo são vitais para tudo, desde salvar espécies ameaçadas – como o icônico lobo-cinzento – a manter nosso ar e água limpos e gerenciar nossos oceanos de maneira sustentável.”

O Serviço de Parques está perdendo cerca de 400 mil dólares por dia apenas com a receita da taxa de entrada. Mesmo quando esses funcionários federais retornarem ao trabalho, essa perda dramática de fundos continuará a ser uma pressão financeira sobre os serviços do parque, exigindo mais do que apenas a paralisação para restaurar a fiscalização total e retomar estudos cruciais sobre a vida selvagem.

Embora essa paralisação tenha sido uma iniciativa do governo dos Estados Unidos, grande parte da culpa está na população, pelos casos de vandalismo e outros atos de desrespeito à natureza. Deve haver uma conscientização por parte do público para respeitar e conservar a fauna e a flora do país, que não têm culpa nenhuma das decisões tomadas pelo governo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RÚSSIA

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA

MAUS-TRATOS

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>