DESCASO

Governo Trump enfrenta processo por negligenciar espécie ameaçada

Grupos e instituições ambientais se juntam para processar o governo Trump por ter falhado em proteger a espécie recentemente declarada em perigo de extinção

WASHINGTON, DC - JUNE 30: (AFP OUT) U.S President Donald Trump looks on during a meeting with South Korean President Moon Jae-in in the Oval Office of the White House on June 30, 2017 in Washington, DC. President Trump and President Moon will hold an Oval Office meeting and then give joint statements in the Rose Garden. (Photo by Olivier Douliery - Pool/Getty Images)

O governo Trump foi acusado de negligenciar a proteção da população de girafas africanas sob a Lei das Espécies Ameaçadas. Esse processo veio logo após a União Internacional de Conservação da Natureza ter declarado as girafas em perigo de extinção. Duas subespécies foram classificadas como “criticamente ameaçadas”.

Donald Trump usando um terno preto, camisa branca e gravata azul com listras. Na sua lapela direita, um broche da bandeira dos Estados Unidos
Foto: Getty Images

De acordo com uma investigação feita pela Humane Society dos Estados Unidos, foi determinado que mais de uma girafa era importada diariamente ao território americano, devido aos caçadores. Os próprios filhos de Trump postaram fotos de si mesmos com suas “conquistas”.

Em 2017, inúmeras organizações fizeram uma petição ao Departamento de Preservação da Vida Selvagem e Marítima para pedir proteção às girafas com base na Lei das Espécies Ameaçadas. O tempo máximo de espera é de 90 dias, e já faz 19 meses que não obtiveram nenhuma resposta do Departamento.

As organizações envolvidas no processo são a Natural Resources Defense Council, a Humane Society International, o Centro de Diversidade Biológica e a Humane Society dos Estados Unidos.

“O governo Trump prefere permitir que seus ricos apoiadores acumulem cadáveres de girafas em suas paredes do que protegê-las,” disse Elly Pepper, vice-diretora da Wildlife Trade Initiative, da NRDC. “As girafas estão no caminho da extinção, e isso se deve em parte à caça e à importação de partes de girafa pelo nosso país.”

“É vergonhoso – embora não surpreendente – que a administração do Departamento tenha se recusado a proteger as girafas sob a Lei das Espécies Ameaçadas, e eu espero que a justiça concordará comigo.”, declarou.

A população de girafas diminuiu cerca de 40% desde a década de 1980. Permanecem somente 97.560 indivíduos na natureza, e com a caça, o desmatamento e as mudanças climáticas, esse número pode cair ainda mais.

Donald Trump criou o próprio Conselho Internacional de Conservação da Vida Selvagem para ajudar na preservação de animais como as girafas. Porém, o conselho foi criticado por advogados especialistas por impor a caça como um método de conservação, e tentar disseminar a prática como um esporte em outros países.