CRIME

Gatos são envenenados em unidade do Carrefour do Rio de Janeiro

Pelo menos 15 gatos foram encontrados mortos nas dependências do Carrefour do Rio de Janeiro em um curto espaço de tempo.

(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)

Gatos comunitários que vivem no estacionamento e nas dependências do Carrefour da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, foram encontrados mortos. Pelo menos 15 animais morreram em curto espaço de tempo. O corpo de uma gata foi submetido a exames em laboratório, ficando comprovada a causa da morte por envenenamento por chumbinho. Resíduos da substância foram encontrados na cavidade abdominal de Joana D’Arc, como era chamada a gata.

(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)

Diante da situação, a ONG 8 Vidas acionou a Justiça. Na última terça-feira (11), uma decisão liminar da 7° vara cível da Barra da Tijuca determinou que o supermercado se abstenha de praticar qualquer ato contra os gatos que vivem no local até o fim da ação civil pública movida pela entidade. A ação foi proposta a pedido de protetores de animais que cuidam dos gatos abandonados no estabelecimento.

O caso vem à tona dias depois da cadela Manchinha ter sido brutalmente espancada por um segurança do Carrefour de Osasco, no interior de São Paulo. O caso gerou grande repercussão. Após ser socorrida, foi comprovado que a cadela morreu em decorrência de uma hemorragia. Ativistas e simpatizantes da causa animal de todo o país pedem justiça pelo caso.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO
(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)

O advogado Marcelo Turra, que está à frente da ação movida pela ONG 8 Vidas, defendeu a responsabilização não só do responsável direto pelas mortes, mas também do supermercado. “Entendo que o enquadramento como ‘crime de maus-tratos com resultado morte’, somente, não é suficiente. Há, sim, e também, a responsabilidade civil do empregador pelos atos dos seus funcionários e prepostos. Cabe também uma ação pleiteando danos morais coletivos, dentre outras providências judiciais”, disse. “Não só o que praticou os maus-tratos deve ser responsabilizado criminalmente mas também a empresa Carrefour, em se comprovando que a decisão da conduta criminosa partiu dos representantes legais do hipermercado”, completou.

O advogado  lembrou que poderia existir uma agravante para o crime que seria o abuso de confiança. “O animal está no seu ambiente sem a menor noção de que a conduta do homem pode vir a ser no sentido da prática de um maltrato contra ele”, afirmou. “A realidade é que estamos diante de vidas não humanas que queremos ver defendidas, consideradas e valorizadas. E mais, animais comunitários, protegidos pela Lei. Verdadeiro bem jurídico”, completou Turra, que disse defender “a prisão preventiva dos responsáveis pelas mortes”.

(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)

Outros casos

Manchinha não foi a única a ser vítima da crueldade de funcionários do Carrefour. Em Vila Velha, no Espírito Santo, gatos foram submetidos a maus-tratos nas dependências de uma unidade do Atacadão, supermercado de propriedade da rede Carrefour. Um vídeo mostra um grupo de funcionários do local ferindo um gato com um pedaço de madeira. A denúncia foi feita à Sociedade Protetora dos Animais do Espírito Santo (Sopaes). O crime ocorreu em 2015. Na época, a assessoria da Rede Carrefour emitiu nota repudiando o caso e afirmando que abriu sindicância interna para apurar a denúncia e tomar as providências cabíveis. Não há, no entanto, informações sobre ações efetivamente tomadas pela empresa.

Em 2011, outro caso foi noticiado, desta vez no estacionamento do Carrefour de Santo André (SP). Um cachorro foi vítima de maus-tratos no local, segundo denúncia. O animal foi agredido por clientes e funcionários com chutes. Os agressores também usaram carrinhos de compras para bater no cão.

Reuniões

Duas reuniões sobre o caso dos gatos encontrados mortos no Carrefour serão realizadas na tarde desta sexta-feira (14), uma delas entre a direção do supermercado da unidade da Barra da Tijuca, o presidente da Comissão de Defesa dos Animais da Câmara, o vereador Luiz Carlos Ramos Filho (Podemos), e o resgatista Jackson Ferreira, da J F Resgates.

A outra reunião, que será realizada às 14h30, contará com a presença de Paulo Pianez, diretor de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do Grupo Carrefour Brasil, que sairá de São Paulo com destino ao Rio de Janeiro exclusivamente para dialogar sobre o caso com a presidente da ONG 8 Vidas, Lilian Queiroz, e o advogado Marcelo Turra.

Confira mais fotos dos gatos do Carrefour do Rio de Janeiro:

(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)
(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)
(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)
(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)
(Foto: Divulgação / ONG 8 Vidas)