Califórnia ocupa o primeiro lugar no ranking de proteção aos animais segundo a Humane Society


A Humane Society dos Estados Unidos rankeou os estados que mais aprovaram leis em prol dos direitos animais, e a Califórnia ficou em primeiro lugar. Por ter aprovado a lei de proteção animal mais avançada do mundo e promulgar uma lei que proíbe a venda de cosméticos testados em animais, o primeiro estado dos EUA a fazê-lo, alcançou o topo do ranking anual da instituição.

um coiote em pé em cima de uma pedra. árvores ao fundo
Foto: StockPhotos

O estado do Oregon, que tem algumas das leis de proteção animal mais fortes do país, permaneceu em segundo lugar, enquanto Massachusetts, que aprovou uma lei abrangente contra a crueldade animal, manteve o terceiro lugar novamente neste ano.

Todos os anos, a Humane Society divulga um ranking dos estados americanos baseado em um amplo conjunto de políticas de bem-estar animal que abrangem mais de 90 ideias políticas. No total, em 2018, a instituição ajudou a aprovar 200 leis estaduais e locais de proteção animal.

Este ano não houve grandes mudanças no ranking, com a Virgínia permanecendo em quarto lugar. No entanto, Illinois, que proibiu o comércio de marfim, subiu um ponto para empatar com a Virgínia.

Mississippi, Dakota do Norte e Dakota do Sul continuaram a se classificar na parte inferior, embora o Mississippi tenha dado um passo à frente ao aprovar uma medida para aumentar as penalidades e os cuidados com sua lei de combate a cães. Wyoming e Idaho permaneceram baixos no ranking também.

Os estados com classificações baixas não têm fortes proteções para cachorros e outros animais e possuem estatutos anti-crueldade fracos. Alguns dos estados ocidentais, em particular, não têm fortes proteções para a vida selvagem e permitem a caça em cativeiro. A caça e o aprisionamento de lobos são permitidos em Idaho e Wyoming.

Ohio, que tem o segundo maior número de fábricas de filhotes no país, subiu um lugar e garantiu sua posição no top 20, aprovando a lei mais forte contra as fábricas de filhotes no país. Rhode Island saltou quatro posições para o número 14, depois de proibir gaiolas em bateria para galinhas e exigindo que cães e gatos sejam oferecidos para adoção após seu período em uma instalação de pesquisa.

Maryland subiu um lugar para empatar com Rhode Island, Flórida e New Hampshire no número 14. Em 2018, Maryland proibiu a venda de cães e gatos de lojas de animais, apenas o segundo estado do país a fazer isso, além da Califórnia. Connecticut e Kansas subiram um lugar cada para o número sete e número 34, respectivamente. Ambos os estados aprovaram leis para proteger indivíduos que resgatam animais presos em carros. A Louisiana também aprovou uma lei similar em 2018.

A Flórida proibiu as corridas de galgos, causando um grande estrago no setor. Esta lei eliminará 11 das 17 pistas de corrida de cães restantes no país até o final de 2020. Nova Jersey aprovou uma lei que proíbe a exploração de animais selvagens para o entretenimento, a Nosey’s Law, tornando-se o primeiro estado a fazê-lo. A proibição se aplica a carnavais, circos, exibições, feiras, desfiles, zoológicos e corridas, entre muitos outros eventos ao vivo.

O Missouri revogou uma lei que proibia os residentes de Springfield de adotarem pit bulls, um grande passo em direção ao fim da discriminação racial. A Virgínia fez grandes progressos para limitar os testes em animais em 2018, tornando-se o quarto estado a aprovar uma lei que exige o uso de métodos alternativos para evitar ou reduzir o teste e o sofrimento dos animais. A Virgínia também aprovou uma lei para restringir o financiamento estatal de pesquisas em cães e gatos que causam dor e sofrimento.

Louisiana reforçou sua atual lei sobre bestialidade. A lei atualizou sua linguagem e agora proíbe e define penalidades para o abuso sexual de animais. Vermont baniu os concursos de caça ao coiote, apenas algumas semanas depois que a Humane Society divulgou os resultados de sua investigação secreta sobre as competições de matança de animais selvagens.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

ETERNIZADO

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>