Cachorro morre ao ser transportado em bagageiro de ônibus na Paraíba


Um cachorro morreu no último domingo (23) após ficar das 23h às 6h dentro do bagageiro de um ônibus da empresa Expresso Guanabara que viajou das cidades de Sousa a João Pessoa, na Paraíba. A tutora informou que o motorista não permitiu que o cão fosse levado no interior do veículo.

Diante da negativa do motorista, Maria do Socorro, tutora do animal, ainda tentou comprar uma passagem a mais, mas também foi impedida. As informações são do portal G1.

Foto: Talles Welton Florentino

A empresa emitiu nota por meio da qual informou que nunca registrou mortes de animais em viagens durante os 26 anos de fundação da Expresso Guanabara, nos quais animais domésticos foram transportados tanto no interior do ônibus quanto no bagageiro, atendendo a todos os requisitos necessários.

“Em relação ao caso relatado em vídeo que circula nas redes sociais, a Guanabara está apurando a ocorrência visto que o transporte no bagageiro não representa qualquer risco para o animal. Por fim, a Guanabara ressalta o seu compromisso com a prestação de um serviço com responsabilidade, ética e transparência”, diz.

Totty, um buldogue francês, tinha apenas um ano de vida. Ele foi levado pela tutora dentro da caixa de transporte, item adequado para viagens. De acordo com Maria do Socorro, na parada de Campina Grande o animal já estava estranho. Em João Pessoa, o cão foi encontrado sem vida.

Levado a uma clínica veterinária, o corpo do animal foi examinado. Segundo o laudo, Totty “não apresenta trauma em nenhuma região. Ausência de batimentos cardíacos e respiratórios”. Um boletim de ocorrência foi registrado.

Normativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estabelece que a acomodação de animais em viagens deve ser definida pela empresa responsável pelo transporte. A instrução apenas exige que cães e gatos tenham atestado de saúde assinado por veterinário habilitado.

O Mapa afirma que o animal pode viajar em qualquer compartimento, desde que o peso dele e a gaiola estejam compatíveis com o ambiente e as exigências da empresa que o transporta.

A Expresso Guanabara, por sua vez, informou através do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) que permite o transporte de animais no interior dos ônibus desde que com a concordância dos passageiros. Se os demais não concordarem, os animais devem ser levados no bagageiro ou o tutor pode remarcar a data e horário da passagem.

No site oficial, a empresa afirma que “animais de estimação podem ser transportados desde que não venham a causar desconforto ou transtorno a outros passageiros. Por isso, seu ingresso nos transportes públicos de uso coletivo fica permitido desde que o animal seja de porte pequeno e esteja contido dentro de caixa ou maleta de transporte, fabricada especificamente para este fim, ressalvados os casos de cães-guia (art. 29 da Lei Estadual nº 4.808/2006) e obedecidas às normas de higiene, segurança e saúde”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO SOCIAL

AÇÃO SOCIAL

PRECAUÇÃO

ÍNDIA

ESTUDO

ÓRFÃO

ARTIGO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>