Presidente Trump quer derrubar santuário de borboletas para construir muro


Ativistas alertaram que a construção da fronteira entre os Estados Unidos e o México poderia ser uma “sentença de morte” para um santuário de borboletas, o mais diversificado da América.

Na semana passada, a Suprema Corte dos Estados Unidos determinou que o presidente Donald Trump e sua administração teriam permissão para dispensar 28 leis federais e começar a construção de 33 milhas novas do muro fronteiriço, que passará pelo Vale do Rio Grande.

A área também abriga o National Butterfly Center, que abriga mais de 60 variedades de borboletas. O santuário, no entanto, está sob ameaça, pois a rota pretendida do muro passaria por ele.

A construção está programada para começar em fevereiro e os ativistas acreditam que o governo Trump vai tomar a terra rapidamente, uma disposição que remonta à era da Depressão, que permite que os órgãos federais tenham amplos poderes de propriedade sem compensação.

“Eles estão violando nossos direitos constitucionalmente protegidos, e isso deve aterrorizar a todos”, disse a diretora do centro, Marianna Wright, segundo o jornal The Guardian.

“Mesmo se você não se importa com borboletas, você deve se preocupar com isso”.

Santuário de borboletas teria que ser derrubado para construção de muro separatista de Trump (Foto: Angela Weiss/AFP/Getty Images)

Além do aspecto ambiental, a construção do muro poderia ter um grande impacto econômico nos municípios vizinhos do vale.

“O turismo ambiental contribui com mais de US $ 450 milhões para os condados de Hidalgo e Starr”, explicou ela.

“Muitas das propriedades que as pessoas escolhem para visitar para ver pássaros, borboletas e espécies ameaçadas e ameaçadas de extinção estão todas por trás do muro da fronteira. Para nós, o impacto econômico é potencialmente catastrófico”.

Embora a fragmentação da área ao longo da fronteira com as estradas, concreto e aço seja uma questão importante para as populações de animais selvagens, também é potencialmente perigoso para os imigrantes indocumentados que tentam entrar nos EUA.

“As paredes da fronteira são sentenças de morte para a vida selvagem e para os humanos”, disse Amanda Munro, do Centro Ambiental do Sudoeste, segundo o jornal.

“Eles bloqueiam animais selvagens de acessar a comida, água e companheiros que precisam para sobreviver.”

O muro da fronteira foi um dos pilares da política de imigração de Trump em toda a sua campanha presidencial e desde então se transformou em uma delicada questão diplomática.

Apesar da falta de financiamento para o muro, Trump insistiu que o México estaria “pagando por ele”.

Na quinta-feira, ele sugeriu que os fundos seriam devolvidos através do dinheiro economizado pelo novo acordo comercial dos EUA com o México e o Canadá, o Acordo Estados Unidos-México-Canadá (USMCA).

Trump ameaçou fechar parcialmente o governo se ele não receber os US $ 5 bilhões em financiamento que ele exigiu para a construção de seu muro.

Os democratas sustentam que Trump deveria se contentar com US $ 1,6 bilhão para a segurança nas fronteiras. O presidente continua inflexível, no entanto, que essa quantia não será suficiente.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SEGUNDA CHANCE

MAUS-TRATOS

CENSURA

DESPERTAR

PROTEÇÃO

HOLOCAUSTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>