Consumo e venda de carne de cães e gatos podem se tornar ilegais nos EUA


Uma grande lei que tornará ilegal o consumo e a exportação de carne de cachorro e gato foi aprovada por ambas as câmaras do Congresso e deve ser assinada pelo presidente Trump ainda esta semana.

Foto: Pixabay

O projeto de lei agrícola, atualizado a cada cinco anos, é a principal ferramenta de política agrícola e alimentar do governo federal e dita a política de bem-estar animal. Na semana passada, o Senado dos EUA votou esmagadoramente 87-13 em favor das últimas disposições do projeto de lei, seguido pelo voto da Câmara de 369-47.

O projeto prevê que a importação, exportação e o consumo de carne de cães e gatos serão legalmente proibidos. Embora não seja uma prática comum, comer estes animais é legal em 44 estados dos EUA.

Quando a provisão – introduzida pelo congressista Alcee Hastings e Vern Buchanan – foi aprovado no Senado em julho, foi anunciada como revolucionária para cães e gatos.

“Este é um tremendo passo na proibição desta prática horrível. Estou muito feliz por termos agora a linguagem do HR 1406 nas contas da Câmara e do Senado”,  disse o fundador da Animal Hope and Wellness Foundation, Marc Ching. As informações são do Live Kindle.

“Estou pessoalmente agradecido, junto com milhões de outros que tem trabalhado duro para proibir o comércio de carne de cachorro, aos senadores Gillibrand, Toomey e Rubio por oferecerem esta emenda e ao presidente do Comitê de Agricultura do Senado Pat Roberts e membro do ranking Stabenow por seu apoio”.

A lei oferece outras duas outras disposições que beneficiarão os animais:

Atualmente, o combate de animais (incluindo brigas de cães e brigas de galos) é ilegal em todos os 50 estados, assim como no Distrito da Colômbia, mas é permitido em territórios dos EUA como Guam e Porto Rico. Essa brecha permite que os animais sejam explorados e mortos para entretenimento, apesar do consenso geral nos EUA de que isso não deveria ser permitido. A nova disposição da lei agrícola estende a proibição a esses territórios.

Uma disposição bipartidária dos senadores Gary Peters e Dean Heller também é incorporada ao projeto. A Lei de Segurança para Animais de Estimação e Mulheres (PAWS), aprovada no Senado em junho, autoriza um programa de subsídios que comprometerá mais recursos para abrigar sobreviventes de violência doméstica contra animais. Também estenderá o código criminal federal para incluir ameaças e atos de violência contra animais domésticos das vítimas.

De acordo com o Detroit News , o escritório de Peters quer ajudar a acabar com abusadores domésticos manipulando seus parceiros ameaçando ou prejudicando seus animais. “Sobreviventes de violência doméstica nunca deveriam ter que decidir entre deixar um relacionamento abusivo ou ficar e arriscar sua segurança para proteger seus animais”, disse Peters em um comunicado. “Este projeto ajudará a garantir mais refúgios seguros para os sobreviventes e seus animais, para que juntos possam começar um novo capítulo em suas vidas.”


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA

JAPÃO

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>