TRÁFICO DE ANIMAIS

Malásia queima 2.8 toneladas de escamas de pangolin

A ação envia uma forte mensagem aos caçadores e impede que o material entre  no mercado negro.

A Malásia queimou aproximadamente nove milhões de dólares em escamas de pangolim apreendidas em uma operação para impedir o tráfico destes animais.

Foto: Reprodução | Facebook

Um total de 2,8 toneladas foram eliminadas hoje, na Nature Quality Center, Seremban, Negeri Sembilan, segundo informações postadas na página oficial Jabatan PERHILITAN Semenanjung Malaysia. “O descarte de itens através de métodos de combustão garante que eles não retornarão ao mercado negro“.

Foi relatado que cerca de 3.000 pangolins foram mortos para obter os 2, 800 quilos de escamas. A carga foi apreendida após tentativas de contrabandos que foram desviados pelo Departamento de Alfândega Real da Malásia (JKDM), no Porto Klang da Malásia entre maio e setembro de 2017.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Na época, as autoridades informaram que as escamas de pangolim, identificadas como pertencentes à espécie africana, foram descobertas juntamente com documentação falsa em diversos carregamentos de Gana e Camarões .

Foto: Pangolinsg.org

Os pangolins, que estão em risco de extinção,  são os mamíferos com o maior número de vítimas do mundo. Suas escamas são falsamente consideradas valiosas na medicina tradicional chinesa. Tragicamente, os pangolins selvagens na Malásia também são vítimas da caça desenfreada e do desmatamento.