Lacoste anuncia que deixará de usar pelo de cabra


A decisão de deixar de usar mohair foi tomada depois que a marca soube, através de uma investigação com testemunhas oculares da PETA Ásia, sobre a cruel indústria de pelo de cabras na África do Sul, que é a fonte de mais de 50% do mohair do mundo. A empresa disse que estava “muito preocupada com o bem-estar animal“.

Foto: PETA

Famosa por seu logotipo com um crocodilo, a Lacoste tem 1.200 lojas e 10.600 outlets espalhados por 120 países.

Assista o vídeo divulgado pela PETA UK.

Investigação

A filmagem da PETA mostra as cabras sendo arrastadas pelos chifres e pernas. Tosadas rapidamente, elas ficam com feridas abertas. Algumas são mostradas sendo mortas – um animal tem sua cabeça cortada com uma faca cega.

“A exposição da PETA abriu as cortinas da indústria violenta de mohair, e a Lacoste tomou a decisão louvável de implementar uma proibição total do material”, disse a diretora da PETA, Elisa Allen. As informações são da Plant Based News.

“Ao fazê-lo, a empresa se junta à lista cada vez maior de marcas que perceberam que a crueldade com os animais não está na moda”.

Foto: ParkShopping

A Lacoste alia-se, agora, a mais de 330 outras marcas em todo o mundo que abandonaram a mohair, incluindo a Fast Retailing – uma das maiores varejistas mundiais de vestuário, cujas marcas incluem UNIQLO e GU.

 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AGRESSÃO BRUTAL

INDÚSTRIA CRUEL

ECONOMIA

AMEAÇA DE EXTINÇÃO

ACIDENTE

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>