Pinguim resgatado em bueiro começa a fazer tratamento em Florianópolis (SC)


Ave foi encontrada em bueiro em Criciúma e levada para tratamento na capital. — Foto: Divulgação/R3 Animal

O pinguim-de-magalhães resgatado de um bueiro em Criciúma, no Sul catarinense, começou a passar por tratamento no Centro de Pesquisa, Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos (CePRAM), em Florianópolis e passa bem. Na manhã da última sexta-feira (7), ele foi transferido para a parte externa com o grupo que está em reabilitação e vai ficar em observação até saírem os resultados dos exames complementares, para só então poder ser colocado na piscina do local.

O animal é considerado jovem e está tomando antibiótico por causa de uma alteração no sistema respiratório. Está com 2kg, peso abaixo da média de uma ave saudável dessa espécie, que é de 3kg. A avaliação até o momento apontou que não se alimentava há algum tempo.

Resgate

O pinguim foi levado ao Hospital Veterinário de Criciúma na manhã de quarta-feira (5) por dois homens que contaram que o encontraram dentro de um bueiro no bairro Renascer. O animal ficou sob os cuidados da clínica até o início da manhã de quinta e depois foi levado pela Polícia Militar Ambiental de Maracajá ao CePRAM, na capital.

A praia mais perto de Criciúma fica a 30 quilômetros de distância, em Balneário Rincão. Para a equipe médica-veterinária responsável, uma das causas que pode ter feito o animal sair do mar é o fato de ele estar passando pelo processo de muda das penas, que é bastante estressante para a ave e prejudica a impermeabilização das penas.

Orientação

A Associação R3 Animal diz que o procedimento recomendado ao se encontrar um pinguim na praia é entrar em contato com o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) pelo número 0800 642 3341. Isso vai fazer com que a equipe mais próxima seja acionada para resgatar o animal.

A orientação é tentar por uma toalha sobre o animal e o colocar numa caixa de papelão, tomando cuidado para não ser bicado pela ave. Outra dica importante não molhar, não colocar gelo e nem alimentar o pinguim.

Para quem encontrar um mamífero, tartaruga ou ave marinha morta ou debilitada, o telefone de contato é 0800 642 3341.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>