“Quero que eles não sejam invisíveis à sociedade”, diz protetora que dedica vida a animais doentes


Estender a mão a animais debilitados, que têm poucas chances de uma vida nova, é o caminho que a administradora Jane Carolina dos Santos, 40, escolheu para seguir. “Não é qualquer pessoa que leva um animal doente para dentro de casa”, conta. Ela já cuidou e doou cerca de cem.

Jane foi uma das ativistas que participou da retirada, em 2013, dos beagles do Instituto Royal – a empresa fazia testes científicos em cães. Nessa época, conciliar resgates com trabalho em empresa ficou difícil.

“Minha vida virou de cabeça para baixo”, diz. Com o dinheiro da rescisão que recebeu, vaquinhas e o banho e tosa que abriu, adaptou todos os cômodos da casa em que mora para cuidar dos cães doentes.

Além de contar com a ajuda de profissionais, fez um curso de auxiliar veterinário para se tornar uma espécie de “enfermeira” dos animais. E foi em um resgate que realizou há dois anos, já tarde da noite, que conheceu Fênix, sua pit bull. “Ela tinha um tumor enorme na barriga e estava na clínica para a morte induzida. Eu assumi o caso.”

Os custos para cuidar de animais em estado deplorável não são poucos: internação, medicação, cirurgias A dívida com a clínica veterinária, explica, já passa dos R$ 90 mil.

“As pessoas ajudam no momento pois ficam comovidas. Mas são tratamentos longos, não conseguimos doar o animal da noite para o dia”, diz a protetora, que vive das arrecadações que faz nas redes sociais e do próprio trabalho.

É claro que, em meio ao ônus, há o bônus de dedicar a vida aos animais – como receber fotos da cachorrinha Anita, que Jane resgatou tomada por 400 carrapatos há um ano e meio. Achou que ela não ia sobreviver. “Mas foi adotada e hoje é uma ‘lady’. Saiu do lixo para o luxo.”

Seu foco não é resgatar só a saúde, mas também a dignidade do animal. “Minha luta é para que eles não sejam mais invisíveis aos olhos da sociedade”.

Fonte: R7


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

POLÍTICA PÚBLICA

RECOMEÇO

BANALIZAÇÃO

CAZAQUISTÃO

DESMATAMENTO

BARBÁRIE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>