Ativistas fecham grande matadouro suíço após protesto dentro do local


Um matadouro suíço foi fechado esta semana depois que mais de 130 ativistas entraram na instalação e sentaram na linha de morte.

O local pertence a um dos maiores processadores de carne da Europa.

Os ativistas, principalmente da França e da Bélgica, se juntaram com a organização 269 Libération Animale e entraram no abatedouro da Bell por volta das 2h20 da manhã.

Policiais foram trazidos para remover os ativistas, alguns dos quais se acorrentaram no local, e tiveram que ser libertados com um cortador de parafusos.

Os ativistas fecharam o matadouro (Foto: 269 Liberation Animale)

70 funcionários foram mandados para casa da fábrica porque não puderam trabalhar no setor ocupado pelos ativistas.

Um vídeo foi feito pela organização, que afirmou que policiais usaram força bruta contra os manifestantes. Escrevendo sobre a ação, a 269 Libération Animale repudiou as ações da polícia.

“Torção de membros, policiais forçando seus corpos inteiros sobre os indivíduos no chão, estrangulamento e sufocamento. A polícia desdobra todo o seu repertório violento contra ativistas que estão presos e impedidos de se defenderem!”.

“O dogma da não-violência nos deixa impotentes e aqueles que nos acusam de sermos ‘radicais’ são cúmplices dessa violência estatal. Apoiem os ativistas, denunciem o que a polícia está fazendo conosco”.

“Sem mortes, sem vítimas hoje em um dos maiores matadouros da Suíça, graças à ação direta e à co-resistência”, eles completam.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>