Filhotes de elefantes morrem infectados por vírus em zoo


Dois filhotes de elefantes morreram, infectados por um vírus, no Zoológico de Chester na Inglaterra. Nandita Hi Way, de 3 meses e Aayu Hi Way, de 18 meses, foram atingidos por um vírus, deixando a equipe supostamente lutando para salvar os animais.

Como resposta às mortes, o grupo de defesa animal Born Free Foundation divulgou um comunicado, questionando se os animais deveriam ter estado em cativeiro.

Aayu Hi Way morreu, infectada por um vírus (Foto: Chester Zoo)

“O herpesvírus endoteliotrópico de elefantes (EEHV) é um vírus devastador, que parece ter um impacto relativamente maior sobre os elefantes em cativeiro do que aqueles que vivem na natureza”, disse a Born Free.

“Só podemos supor que algum aspecto das restrições e tensões da vida em cativeiro coloca os jovens elefantes em sério risco de contrair a doença. Nos zoológicos de algumas regiões do mundo, a EEHV é a maior causa de morte nos jovens elefantes asiáticos”.

A declaração acrescentou que o Zoológico de Chester teve “uma longa e trágica história de mortes por esta doença: cinco elefantes faleceram pela mesma razão durante um período de seis anos”.

Após supostos esforços da equipe do zoo, Nandita Hi Way morreu do vírus (Foto: Chester Zoo)

“Embora nossos pensamentos estejam com os guardiões e os elefantes restantes no Zoológico de Chester, também devemos fazer algumas perguntas sérias”, afirma a fundação.

“Dado que é amplamente reconhecido que as populações de elefantes em zoológicos não são sustentáveis, e quando a vida em um zoológico é tão diferente da vida na natureza em um rebanho baseado na família, por que zoológicos continuam a manter e reproduzir elefantes apenas para que eles enfrentem a morte em idade jovem da EEHV?”.

A Born Free afirmou que a vida em zoológicos compromete muito o bem-estar dos elefantes e não ajudam a proteger as populações de elefantes que, na verdade, deveriam estar na natureza.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO MÉDICO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>