SeaQuest planeja levar a exploração da vida marinha para shoppings americanos


A instituição Pessoas Pelo Tratamento Ético dos Animais (PETA, sigla em inglês) denunciou em seu site oficial que os aquários, SeaQuest, planejam ampliar suas atividades cruéis abrindo seus aquários em shoppings que estão considerando permitir até que aconteça.

Aquário SeaQuest
Foto: PETA

Assim como todos os outros aquários que exploram animais para entretenimento, o SeaQuest sempre recebe acusações de maus-tratos, negligência e são famosos por permitir interações públicas perigosas com animais.

Os relatórios reúnem alegações de maus-tratos em vários aquários da SeaQuest, de propriedade de Vince Covino. No Portland Aquarium, propriedade de Vince e seu irmão Amon, que agora está fechado, mais de 200 animais morreram ao longo de três meses.

Entre os animais haviam cavalos-marinhos, arraias, enguias de jardim, tubarões e muitas outras espécies de peixes que morreram de inanição, infecções e outras causas aparentemente evitáveis.

De acordo com um biólogo marinho da instalação, o aquário estava “cortando cantos para economizar dinheiro”.
Em 2013, Ammon foi condenado em um tribunal federal, mais de um ano de prisão após se declarar culpado de conspiração para cometer tráfico ilegal de vida selvagem.

Arara vermelha e azul em cativeiro.
Foto: PETA

Em março de 2016, ele foi enviado de volta à prisão, depois de violar sua liberdade condicional. Poucos meses depois, apesar de legalmente proibido, ele estava envolvido na inauguração dos aquários SeaQuest em Nevada e Utah, pelos quais ele foi enviado de volta à prisão .

Então, em 2017, Vince foi multado em 5 mil dólares (cercar de 18 mil e 500 reais) por violações de valores mobiliários, depois de não revelar uma ação disciplinar prévia a potenciais investidores.

Também em 2017, um ex-funcionário apresentou relatos de negligência com animais no SeaQuest em Las Vegas, dizendo que viu centenas de animais morrerem. Outro funcionário alegou que os animais não foram alimentados corretamente.

Animal em cativeiro no SeaQuest.
Foto: PETA

O plano de Vince de oferecer exposições interativas em shoppings é preocupante. Os tanques de toque estão entre os mais mortais dos ambientes artificiais.

Se os shoppings realmente querem adicionar algum entretenimento à experiência de seus clientes, há toneladas de maneiras amigáveis aos animais de fazer isso, como por exemplo o National Geographic’s Encounter: Ocean Odyssey. Anunciado como o “aquário do futuro”, a exposição é um aquário animado por computação gráfica e livre de crueldade que permite às pessoas nadar com baleias e golfinhos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>