Elefante é forçado a aprender matemática em um zoo, no Japão


O elefante asiático Authai, foi retirado de seu habitat natural e explorado por cientistas durante 14 anos, sendo forçado a participar de um experimento que só existe para beneficiar humanos.

Elefante aprisionado, forçado a aprender matemática.
Foto: Journal of Ethology; Naoko Irie

Authai recebia tarefas como comparar fotos de frutas na tela e escolher o que continha o maior número de bananas, melancias e maçãs. Ele foi submetido a realizar 88 desafios aritméticos em 271 vezes, alcançando uma taxa de sucesso de 66,8%.

O estudo que teria como objetivo fornecer uma evidência experimental de que os animais possuem características cognitivas parcialmente idênticas à humana, só comprova que esses animais deveriam estar livres na natureza ou em santuários.

Existem casos de outros elefantes que, assim como Authai, são explorados para que desenvolva habilidades iguais aos dos humanos. É o caso de Paya, o elefante pintor da Tailândia que apareceu em vídeos virais por uma década, fazendo com que outros elefantes também fossem forçados a aprender as mesmas habilidades.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ESTELIONATO

MALDADE

ESTADOS UNIDOS

FEBRE AMARELA

REVERSÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>