Todos os anos, na cidade de Sweetwater, no Texas, é realizado um festival que apenas algumas pessoas conhecem – o “Roundup Cascavel”. Ele tem como ponto central um campeonato que envolve a perseguição de cobras selvagens fora de seu habitat. Muitas vezes, para a captura dos animais, os participantes usam métodos prejudiciais não apenas para as cobras, mas para todos os outros animais selvagens (e o meio ambiente também).

Reprodução | One Green Planet

Depois de capturadas, as cobras são levadas para um espaço com várias barracas de feiras, e lá elas são pesadas, medidas e têm seu veneno retirado. Então são jogadas em um poço extremamente superlotado, onde os animais naturalmente solitários sofrem imensa angústia e reagem mordendo, defecando e fazendo barulho. Melissa Amarello, da Advocates for Snake Preservation, diz que é a coisa mais próxima de uma cobra gritando, em entrevista ao portal One Green Planet.

Mas a crueldade dificilmente termina aqui. Para entreter as multidões, os manipuladores decapitam e esfolam as cobras na frente das pessoas. Os visitantes também podem participar desta parte e até mesmo as crianças são encorajadas a tentar esfolar uma cobra. As meninas adolescentes se revezam na decapitação, na tentativa de ganhar o título de “Senhorita Serpente Encantadora”.

Quando as pessoas terminam a tortura, eles dizem para que elas limpem as mãos ensanguentadas em um “mural” – assim, eles marcam sua participação no evento. As peles que sobram, por sua vez, são transformadas em itens inúteis, sua carne é frita e vendida ali mesmo no evento, e os órgãos são vendidos no exterior.

Apesar de saber que o evento é cruel, a pequena cidade, de cerca de 11 mil habitantes, afirma que o evento é uma tradição, já está enraizado na cultura popular da região (embora tenha começado em 1958) e que os 40 mil visitantes do evento anualmente ajudam a impulsionar a economia local.

Desculpas semelhantes são usadas para justificar a existência de muitos eventos semelhantes, como o Festival de Carne de Cachorro de Yulin ou então o da caça à baleia e do golfinho na Islândia, Noruega e Japão. Todos eles culpam a “tradição cultural” por seus atos de crueldade contra os animais.

Realmente incomodados e preocupados com a situação das cobras no Texas, ativistas e organizações em defesa dos animais se uniram e começaram uma petição online para acabar com estes eventos. Só porque cascavéis não são considerados nossos companheiros próximos fofinhos como cães e gatos não significa que devemos fechar os olhos para a tortura que está sendo infligida sobre eles.

“Todas as criaturas vivas merecem respeito e a chance de viver livremente, isso inclui cobras. Se você está indignado com o Yulin Dog Festival ou com o massacre de golfinhos de Taiji, você também deve ficar indignado com o que acontece em março em Sweetwater, no Texas. Este evento é uma mancha na história da América do Norte e vai contra os princípios com os quais esperamos que outros em todo o mundo sigam quando diz respeito ao tratamento de animais”, diz um trecho do texto da petição.

Jovens ajudaram a encerrar um evento semelhante em Claxton, na Geórgia, em 2012, mostrando que a pressão pública realmente pode fazer uma diferença positiva. Por isso, são grandes as expectativas de que em pouco tempo o festival seja parte de uma história não a ser esquecida, mas a ser superada e gravada como um exemplo a não ser seguido nunca mais.