‘Peço perdão se incentivei a maltratar animais’, diz locutor de rodeio


O maior locutor de rodeio do Brasil, Asa Branca, de 56 anos, afirmou que “se fosse para ser um animal, não queria ser o de rodeio” e disse que diariamente pede perdão pelos maus-tratos incentivados. “Todo dia, antes de dormir, eu peço perdão para Deus se eu incentivei a maltratar os animais”, contou.

Apesar de dizer que não é a favor nem contra os rodeios, Asa Branca afirmou, em entrevista à coluna de Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, que não vai mais usar o próprio nome para defender esses eventos “porque quem tem que dizer são os médicos veterinários. E a maioria é contra [os rodeios]”.

Asa Branca (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

Se hoje o locutor dá declarações que confirmam a existência de maus-tratos em rodeios, na década de 1990 ele era um defensor ferrenho da profissionalização da prática e chegou a fazer campanha em 1994 para Fernando Henrique Cardoso com o objetivo de conseguir, em troca de votos para o político, a assinatura de uma lei que transformaria rodeio em profissão. FHC prometeu e cumpriu e, em 2002, homologou o projeto de lei que passou a reconhecer o peão como esportista profissional.

Classificar rodeio como esporte, no entanto, é algo questionado por especialistas, ativistas e parte significante da sociedade. A juíza Fernanda Orsomarzo, inclusive, ao acatar solicitação do Ministério Público do Estado do Paraná e proibir, há três anos, a realização da IV Festa do Laço Comprido em Rosário do Ivaí (PR), reforçou que “‘esporte’ em que um dos envolvidos não optou por competir não é ‘esporte’. É covardia”.

Na época em que o locutor buscava o apoio de Fernando Henrique Cardoso em prol dos rodeios, no entanto, muitas pessoas já se mobilizavam contra a prática. Uma delas era a cantora Rita Lee que, inclusive, no programa da Hebe Camargo, usou uma camiseta na qual estava escrito “odeio rodeio”.

Boi explorado em rodeio (Foto: Joel Silva / Folhapress)

Em 2005, em entrevista à Folha de S. Paulo, Rita Lee voltou a dizer que é contra rodeios e afirmou que tem “vasto material comprovando os maus-tratos que acontecem nos bastidores desses eventos” e que “rodeios são um lixo cultural americanizado”. Em parceria com o cantor Chico César, Rita escreveu a música “Odeio rodeio”, que também é interpretada pelo grupo O Teatro Mágico, cujo vocalista, Fernando, é vegetariano. “Me tira a calma, me fere a alma, me corta o coração. Se é luxo ou é lixo, quem sabe é bicho que sofre o esporão”, diz trecho da canção.

Foi o posicionamento de Rita Lee, à época, que fez com que Asa Branca decidisse pedir ajuda para FHC. “Fui pedir ajuda [para o FHC]. Disse que levaria ele nas festas, para ele conseguir votos. Mas em troca ele teria que assinar a lei que transformaria o rodeio em profissão. Aí ele prometeu: ‘Se eu for eleito, assino’”, revelou Asa Branca.

Confira a música de composição de Chico César e Rita Lee:


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PROTEÇÃO ANIMAL

CRUELDADE

GRATIDÃO

ESPECIAL

ALEGRIA

VÍTIMAS DA CAÇA

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>