Deputado russo quer criação de agência para preparar leis de “proteção máxima” aos direitos animais


“Membros da Duma [câmara baixa do Parlamento] recebem centenas de cartas de eleitores exigindo o endurecimento de ações voltadas aos direitos animais” (Foto: Reprodução)
O deputado russo Vasily Vlasov, do Partido Liberal Democrata da Rússia (LDPR), pediu esta semana ao vice-primeiro-ministro Aleksey Gordeyev pela criação de uma agência para preparar leis de “proteção máxima” aos direitos animais na Rússia.

“No momento atual, há cada vez mais casos de crueldade contra animais registrados na Federação Russa. Membros da Duma [câmara baixa do Parlamento] recebem centenas de cartas de eleitores exigindo o endurecimento de ações voltadas aos direitos animais”, informou Vlasov em carta enviada a Hordeyev e divulgada pela agência de notícias russa RIA Novosti.

O deputado quer a criação de uma agência independente, separada do Serviço Federal de Veterinária e Controle Sanitário, entendendo que se uma agência voltada aos direitos animais tiver de ser submetida ao Serviço Federal de Veterinária pode haver conflito de interesses. Vlasov disse que é premente que uma agência russa prepare leis para “proteção máxima” dos direitos animais.

Também citou vários incidentes envolvendo tratamento cruel contra animais abandonados, como os cães mortos no país antes da Copa do Mundo, e contra animais criados para consumo. Ele destacou que há vídeos que podem ser facilmente vistos pela internet.

“A prioridade das questões ecológicas nas atividades econômicas, a observação dos direitos dos animais, o combustível limpo e a indústria – este é o caminho que a humanidade progressista procura alcançar”, destacou o deputado. Atualmente quem mata cães e gatos na Rússia pode ser condenado a três anos de prisão, com possibilidade de ampliação para cinco anos. Ainda assim, a legislação é falha e protege poucos animais, no entendimento de Vlasov.

Não é a primeira vez que um parlamentar russo pede por leis mais severas envolvendo os direitos animais e o bem-estar animal. Em 2015, a pedido de organizações de defesa dos direitos animais, Oleg Lebedev, do Partido Comunista, elaborou um projeto de lei que exigia o aumento da punição mínima e máxima para quem agisse com crueldade contra os animais.

Porém, pouco antes de Lebedev apresentar o seu projeto ao legislativo, alguns cães mataram um menino de nove anos na cidade de Chita, na Sibéria. O episódio, que é bem mais raro do que o de violência de seres humanos contra animais, fez com que inúmeros políticos declarassem que cães abandonados deveriam ser exterminados. Disseram ainda que o público deveria dar menos atenção aos defensores dos direitos animais e suas campanhas, segundo informações divulgadas hoje pela emissora de TV russa RT.

Fonte: Vegazeta


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO

DE OLHO NO PLANETA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>