Demora da UFPA para entregar abrigo causa a morte de animais


O abrigo para animais que vivem na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém (PA), construído com recursos da instituição, ainda não foi entregue. A demora tem feito com que cachorros e gatos adoeçam e sejam mantidos em condição insalubre, além de ter causado a morte de mais de 20 deles, segundo voluntários responsáveis por cuidar dos animais em um abrigo improvisado, em um casebre de madeira que alaga com a chuva, atrás do Ginásio de Esportes da universidade. Desde o dia 15 de julho as mortes estão sendo registradas. Os animais vieram a óbito em decorrência de doenças como pneumonia e infecção intestinal.

Animais estão sofrendo com condição insalubre de abrigo improvisado (Foto: Reprodução/ TV Liberal)

A construção do abrigo atende ao Projeto Vitório, anunciado em fevereiro de 2017 pela instituição como uma forma de resolver o problema com os 120 animais que vivem no campus. A UFPA classifica a ação como um projeto de extensão para promover a saúde e o bem-estar dos animais domésticos abandonados que circulam pelo local e incentivar a adoção e guarda responsável. No entanto, não é isso que tem ocorrido.

Protetores de animais e a comunidade acadêmica têm se mobilizado para exigir que a reitoria retire os animais do abrigo improvisado. O caso, que ganhou repercussão na internet, é acompanhado pela Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB. As informações são do portal G1.

“O projeto prevê tratamento dos animais, castração, vacinas. A OAB teve uma reunião com a comissão deste projeto em abril do ano passado e nos garantiram que entregariam em 4 ou 5 meses. Já passou mais de um ano e não entregaram”, afirma o vice-presidente da Comissão da OAB, Cláudio Bordalo.

Casebre de madeira que serve de abrigo improvisado para os animais alaga com a chuva (Foto: Reprodução/ TV Liberal)

Já foi feita, inclusive, uma audiência pública sobre o caso. “O reitor se negou a ir e não mandou representante. Mandamos abaixo assinado e ficaram de marcar reunião, há mais de 3 meses. Eles vem se negando a tratar do assunto, o reitor está sendo insensível nisso. Ninguém tá dizendo que a universidade tenha que fazer tudo necessário imediatamente, mas tem que abrir as dificuldades do projeto”, explica Bordalo.

“Tem o castelo construído e não tem nenhum animal dentro. Tem 70 animais que precisam de tudo que tem no castelo e o castelo não abre. Só que o castelo foi pago com recurso público e estamos esperando que inicie. Parece estranho para nós que não tenha começado”, reforça o vice-presidente da comissão da OAB.

Abrigo construído para manter cães e gatos abandonados não foi entregue (Foto: Reprodução/ TV Liberal)

A UFPA, por sua vez, fez um pronunciamento sobre o caso através de nota, mas não informou quando o abrigo será entregue. “A Universidade Federal do Pará informa que considera grave o problema de animais errantes nos espaços da instituição, problema que tem sido agravado pelo estímulo ao abandono de animais no campus. Tal atitude provocou um atraso no cronograma das ações que vêm sendo construídas pela instituição para equacionar a questão, pautadas estritamente por normas legais e amparadas em práticas profissionais reconhecidamente válidas. Oportunamente, a UFPA dará conhecimento à comunidade acadêmica e demais interessados sobre o cronograma das ações planejadas”, diz o comunicado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>