Voluntária denuncia casos de abandono de animais em Assis (SP)


Infelizmente, o abandono de animais ainda é uma prática muito comum em diversas cidades e regiões do Brasil. Apesar de ser um crime previsto em lei, a falta de punição sobre os responsáveis muitas vezes faz com que cães e gatos continuem sem lar e sem cuidados.

Em Assis, no interior de São Paulo, o panorama não é diferente. Norma Oliveira mora no Parque Colinas e realiza um trabalho voluntário independente para cuidar dos animais.

Fêmea de 50 dias é um dos animais disponíveis para adoção (Foto: Divulgação)

“Eu sou voluntária independente e não conto com nenhuma ajuda financeira para poder cuidar dos animais. A ajuda que recebo são de amigas e conhecidos que colaboram com alguns medicamentos, um pouco de ração, mas todas as despesas saem dos nossos próprios bolsos. Atualmente estou com 14 cachorros e seis gatos, que foram todos resgatados em condições de abandono. Um dos cachorros foi encontrado próximo à Florínea e é cego, então imagine se alguém iria querer ficar com ele”, afirma.

Norma afirma que os casos, infelizmente, são sérios e recorrentes, como o de uma fêmea que está com câncer.

“Aqui no Parque Colinas é constante a gente ver casos de abandonos e em situações bem sérias. Uma das casas que eu acompanho está fechada e lá dentro tem três cachorros, mas parece que os antigos donos só aparecem de vez em quando. Uma fêmea está com câncer e precisa urgentemente de quimioterapia, enquanto um outro macho está aparentemente com pneumonia por conta do frio. O veterinário acredita que ela precisará de cinco ou seis aplicações do medicamento, sendo que o preço mais baixo que encontrei foi de R$50,00 por sessão. Infelizmente não tenho condições de arcar com esse custo e por isso estou pedindo por ajuda”, salienta.

Segundo Norma, outro caso grave foi de um pit bull resgatado em meio a um lamaçal, mas que agora também está passando por situação de abandono.

“Como o pessoal sabe que eu cuido, eles sempre vêm me contar sobre os casos. Na época da Copa do Mundo, acredito que esse pit bull tenha escapado por conta dos fogos e ele ficou atolado em um lamaçal. Um carroceiro viu, tirou ele de lá e deixou o cachorro solto, porque ele acreditou que poderia reencontrar a sua casa. Porém, uma outra mulher acabou pegando o cachorro e agora ele está na rua de novo. Passei por lá e vi ele na chuva esta semana, todo machucado, sendo que ele é um animal dócil. Tratei dele, mas seria importante que ele encontrasse pessoas que possam dar cuidados como ele merece”, reforça.

A voluntária relata que uma das principais dificuldades é fazer a denúncia. “Nós sempre tentamos denunciar, mas parece ser uma questão muito burocrática, porque um órgão joga a responsabilidade para o outro e, ao final, ninguém é punido. Recentemente, minha amiga chegou a apanhar enquanto tentava denunciar um caso de maus-tratos. Em algumas situações, a denúncia é registrada e, quando as equipes vão até a casa para fiscalizar, os tutores escondem os animais. As ONGs sempre dizem que não tem espaço, o que é de fato um problema, e assim o número de cães e gatos abandonados só cresce”, conclui.

Norma reforça que quem puder ajudá-la com medicamentos, ração, adoção e até mesmo o valor para o tratamento da fêmea com câncer pode entrar em contato com ela pelo telefone (18) 99677-3473.

Fonte: Assis City


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>