INDIGNAÇÃO MUNDIAL

Estupidez humana: caçadora posa para foto com girafa morta

Reprodução | Facebook

 

Reprodução | Facebook

Fotos de uma viagem que a caçadora Tess Thompson Tally fez para a África do Sul em junho de 2017 estão causando muita revolta e indignação nas redes sociais. Nas imagens, a americana aparece comemorando ao lado do cadáver de uma rara girafa negra que havia acabado de matar.

As imagens viralizaram após terem sido postadas no twitter do jornal sul-africano AfricLand Post, com a descrição: “Uma americana branca, que é em parte neandertal, vem para a África e mata uma girafa negra muito rara. Cortesia da estupidez da África do Sul. O nome dela é Tess Thompson Talley. Por favor, compartilhe”.

Americanos defensores dos direitos animais também expressaram horror. “Este desperdício de vida da #TessThompsonTalley está caçando criaturas bonitas para fazer graça”, disse um usuário do Twitter identificado como Tom Kay.

Em um post de Facebook, aparentemente excluído agora, Tess teria postado as imagens dizendo: “Rezando e agradecendo pela minha caçada dos sonhos ter se tornado realidade hoje! Avistei essa bela girafa negra e a persegui por um bom tempo. Eu sabia que era única. Ela tinha mais de 18 anos, 4.000 libras e fui abençoada por ter podido extrair 2.000 libras de carne dele. ”

Em 2015, manifestantes se reuniram do lado de fora do escritório e da casa do dentista Walter Palmer, de Minnesota, depois que ele matou um amado leão, o Cecil, perto de um parque nacional no Zimbábue.

Talley defendeu sua caçada em um comunicado enviado à Fox News: “A girafa que eu caçava era a subespécie sul-africana da girafa. O número dessa subespécie está realmente aumentando devido, em parte, aos caçadores e esforços de conservação pagos em grande parte pela caça de grandes animais. A raça não é rara, mas ela era muito antiga. As girafas ficam mais escuras com a idade.”

A caça é uma prática legal em vários países africanos, relatou a Fox, incluindo a África do Sul, Namíbia, Zâmbia e Zimbábue. Na África do Sul, onde animais como búfalos, elefantes e leões são frequentemente visados, a caça de ‘troféus’ como a girafa morta é uma indústria de US $ 2 bilhões por ano.

Fonte: Época