SANTA CATARINA

Encalhe de baleia na Grande Florianópolis alerta instituições

Na tentativa de salvar a baleia, população pode agravar a saúde do animal, que já está estressado

279

12/07/2018 às 19:30
Por Redação

Foto: PMP-BS / Divulgação

O encalhe de uma baleia-minke-anã (Balaenoptera acutorostrata) na tarde de segunda-feira (09), na baía de Tijucas, na Grande Florianópolis, trouxe um alerta para as instituições que tocam o Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), responsáveis pelo resgate de animais marinhos desde Ubatuba (SP) até Laguna, no Sul do Estado. Na tentativa de salvar a baleia, a população pode agravar o quadro de saúde do animal, que já está estressado e cansado por conta do encalhe. No caso de Tijucas, o mamífero morreu.

Segundo a ONG, é necessário manter distância e evitar contato com a baleia. É muito importante acionar o projeto o quanto antes e aguardar a chegada de técnicos treinados para o resgate, que segue procedimentos específicos com base em protocolo.

Vídeos circularam nas redes sociais e na imprensa mostrando a baleia encalhada e pessoas em volta tentando desencalhá-la com o auxílio de uma embarcação pesqueira. A tentativa em salvar o animal sem equipamentos e conhecimento necessários pode piorar a situação do animal ou machucar alguma pessoa envolvida.

A médica-veterinária Cristiane Kolesnikovas, presidente da Associação R3 Animal e coordenadora do PMP-BS em Florianópolis, lembra que existe um protocolo desenvolvido a partir de experiência adquirida em resgates de grandes cetáceos na Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca. O protocolo é utilizado nacionalmente, divulgado internacionalmente e já foi utilizado com êxito em quatro desencalhes no território.

Foto: PMP-BS / Divulgação

No caso da baleia-minke-anã, as pessoas amarraram uma corda na cauda do animal para rebocá-lo para águas profundas, o que é um procedimento errado e pode até matar o animal.

“Todos querem salvar o animal, porém há técnicas a serem seguidas e equipamentos adequados ao resgate. Por isso solicitamos que acionem o PMP-BS para fazer o resgate”, comenta Kolesnikovas.

Nesta época do ano, é comum animais marinhos aparecerem nas praias catarinenses, por isso a importância em acionar o projeto o quanto antes ao avistar uma baleia ou outro mamífero encalhado, assim como tartarugas e aves marinhas. O número é 0800 642 3341 e a ligação é gratuita.

Baleia-minke-anã era juvenil

O mamífero que encalhou em Tijucas era uma fêmea juvenil, com 7,5 metros de comprimento e aproximadamente uma tonelada. Infelizmente, a baleia morreu antes que qualquer tentativa de desencalhe pela equipe pudesse ser realizada. A equipe do PMP-BS realizou a necropsia no local e não encontrou nenhuma lesão externa, mas apresentava edema pulmonar e indícios de afogamento. Foram coletadas amostras para tentar identificar se a baleia estava doente e a possível causa do encalhe. O animal foi encaminhado para o Museu Oceanográfico da Univali.

Fonte: Hora de Santa Catarina