Retrocesso

Governo do Botswana considera suspender a proibição de caça a elefantes

Alguns dos motivos considerados para a retomada de assassinatos aos elefantes são “perda de empregos e receita das atividades de caça de troféus, bem como conflitos entre humanos e animais selvagens”

317

12/07/2018 às 17:30
Por Paula Borim, ANDA

O governo do Botswana deverá lançar uma consulta nacional durante dois meses para rever uma suspensão de quatro anos à proibição da caça de elefantes no país sul-africano.

O governo do Botswana deverá lançar uma consulta nacional para rever uma suspensão de quatro anos à proibição da caça de elefantes no país sul-africano.

Reprodução | The Dodo

De acordo com o The Monitor, as consultas também incluirão representantes de caçadores, e membros do programa comunitário de Gestão de Recursos Naturais (CBNRM). O comitê será auxiliado pelo Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo.

Botsuana é atualmente o lar de cerca de 130.000 elefantes, um terço da população total de elefantes da África.

A retrógrada decisão foi tomada no dia 4 de julho, após o Parlamento aprovar uma moção do legislador da cidade de Maun East, Kosta Markus. Ela solicitava que o governo considerasse suspender a lei que proíbe caçar e atirar elefantes fora das reservas de caça e parques nacionais.

Markus originalmente entrou com uma moção no mês passado para o governo suspender a proibição, mas depois de alguma oposição dos legisladores, na semana passada ele introduziu a emenda solicitando que “considere” rever a lei que foi imposta em 2014. Ele citou a “perda de empregos e receita das atividades de caça de troféus, bem como conflitos entre humanos e animais selvagens”, como razões para o governo considerar negar a proibição.

Caso seja aceita, a suspensão da proibição configurará um extremo caso de retrocesso. A proteção aos elefantes foi uma grande conquista que poderá ser destruída graças à ganância.

Os animais não são formas de ganhar dinheiros, mas sim seres sencientes, que devem ser respeitados. A suspensão da proibição, além de permitir que pessoas machuquem e matem elefantes apenas por diversão, também dará margem para o fortalecimento do tráfico de marfim.