Voluntários salvam animais de incêndios nos EUA


Tucker Zimmerman tem dormido muito pouco com o incêndio que devasta o Condado de Shasta, na Califórnia (EUA). Fuzileiro aposentado, ele correu para nova batalha, desta vez como voluntário no resgate de cavalos e outros animais perdidos em meio à tragédia que já causou a morte de seis pessoas (sendo dois bombeiros) e destruiu centenas de imóveis na região Norte da Califórnia. “Sou só um cara que move umas coisas”, diz.

Fuzileiro aposentado é voluntário no resgate de cavalos e outros animais perdidos em meio ao incêndio que já causou a morte de seis pessoas na Califórnia.
(Foto: Reuters)

Por “coisas” ele se refere a cavalos em pânico e outros animais que salva depois de serem deixados para trás por humanos em fuga. Com um grande trailer emprestado de seu trabalho como vendedor de equipamentos para tratores, Zimmerman se aventura diariamente em várias zonas de evacuações ao mesmo tempo que moradores fogem na direção contrária do Incêndio de Carr, como o episódio está sendo chamado.

Só no último sábado (28), Zimmerman entregou cinco cavalos que conseguiu capturar em uma área evacuada antes de partir para resgatar outros após receber um telefonema.

“Ele restaurou minha fé na Humanidade”, comentou Noah Urban, morador do estado do Oregon cujo cavalo de seis anos batizado “Bolt” foi salvo por Zimmerman, que entrou em contato com ele via Facebook. “Você não está só ajudando os animais, está ajudando às pessoas a aliviarem o estresse. É como perder um de seus filhos. Não consigo nem pensar o que seria deixá-los para trás”, disse Urban.

Zimmerman não está sozinho. Se comunicando por meio de redes sociais, mensagens de texto, rádio ou mesmo no “boca a boca”, uma rede de defensores e amantes dos animais e autoridades de controle de zoonoses se juntaram nos últimos dias para salvar o máximo possível deles do devastador incêndio.

Em um shopping perto da cidade de Anderson, o barulho dos latidos toma uma vitrine esvaziada para abrigar animais da organização “Haven Humane Society”. Além da usual tarefa de procurar por um lar para os bichos, os voluntários estão aceitando cães e gatos trazidos por moradores evacuados que não podem cuidar de seus animais domésticos enquanto estão desabrigados.

Dan Fults, 47 anos,e sua esposa deixaram seus Huskies, Balto e Lucian, para serem cuidados no local uma hora depois de saírem de sua casa. O casal ficou com seus dois gatos e papagaio, pelo menos por enquanto. “Claro que tenho coisas de valor em casa, mas os animais são obviamente minha prioridade”, comentou Fults.

De volta ao rancho de Cottonwood Creek, Zimmerman estava em seu caminhão respondendo a mais pedidos de ajuda. “Quando fui mobilizado (como militar) não podia ter animais, mas eu os adoro”, contou.

E embora exiba especial talento para lidar com cavalos assustados, o ex-fuzileiro não discrimina animais bípedes que também precisem de ajuda. “Salvei um cara chamado Matt. Ele estava tentando manter sua casa quando as chamas a tomaram”, lembrou.  Zimmerman disse que gritou “vamos embora!” e resgatou o homem.

Fonte: O Globo


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA

COMPAIXÃO

DESGOVERNO

CONSERVAÇÃO

BONDADE

DEMANDA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>