Orangotango fêmea e seu filhote retornam à natureza após três anos em reabilitação


Especialistas em conservação da organização International Animal Rescue (IAR) em conjunto com funcionários florestais na ilha de Bornéu, no sudeste asiático, participaram da operação que libertou uma orangotango fêmea e seu filho na natureza. 

Maili e Osin foram transportados após serem liberados do centro de orangotangos da IAR na cidade de Ketapang. (Foto: IAR)

A fêmea chamada Maili foi resgatada do cativeiro em 2015, e desde então esteve em reabilitação no centro de orangotangos da IAR na cidade de Ketapang.

Durante a recuperação, os orangotangos ficam em grupo e são alocados em ilhas artificiais que simulam seu habitat. Eles são monitorados de perto para que, assim que terminem sua recuperação, não passem um dia sequer a mais longe da natureza.

Maili engravidou durante o processo, e após o nascimento do bebê, chamado Osin, ficou sob observação. Em pouco tempo a dupla foi liberada para retornar à floresta perto do Monte Tarak.

A equipe envolvida na libertação dos animais, levou quase dez horas – quatro horas e meia de carro e mais quatro horas a pé – até chegar ao local onde os orangotangos seriam soltos. Juntamente com os funcionários florestais e a equipe da IAR, doze moradores locais também ajudaram na liberação, transportando a gaiola para o local designado.

Especialistas da International Animal Rescue e funcionários florestais na ilha de Bornéu, libertaram uma orangotango fêmea e seu filho na natureza. 
Foto: IAR

Maili e Osin continuarão sendo monitorados por mais um ou dois anos. De acordo com o Gerente de Pesquisa, Liberação e Monitoramento do IAR Indonésia, Argitoe Ranting, “o monitoramento é feito para garantir que os orangotangos não apenas sobrevivam, mas prosperem na floresta. Se a condição de um dos animais for motivo de preocupação, a equipe médica é chamada para avaliar e ajudá-los ”.

Graças ao esforço dos envolvidos, esses dois orangotangos terão a chance de começar uma nova vida em seu habitat. Em sua liberdade, poderão colocar em prática tudo o que aprenderam na reabilitação, como escalar, procurar alimentos e construir um ninho.

O Diretor do Programa da IAR Indonésia, Dr. Llano Sanchez, declarou : “É tão inspirador testemunhar Maili e Osin subindo nas árvores em seu habitat natural. Estou muito feliz por ambos poderem regressar à sua legítima casa.” Sanchez comemorou que o feito ocorreu na data de seu aniversário.

A dupla poderá viver em liberdade com as experiências aprendidas no centro, como escalar, procurar alimentos e construir um ninho. (Foto: IAR)

Orangotangos estão classificados como criticamente ameaçados na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza. Em apenas 16 anos, 150 mil espécimes foram mortas no Bornéu. A espécie está ameaçada principalmente pela caça e destruição de seu habitat.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

ETERNIZADO

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>