Feira em cidade norte-americana explora animais em evento chamado “briga de porcos”


Na semana passada, durante a Feira Comunitária do Condado de Kosciusko, em Warsaw, Indiana (EUA), uma competição conhecida como “luta de porcos” chamou a atenção de muitas pessoas ao redor do mundo – principalmente a de ativistas pelos direitos animais.

Reprodução | World Animal News

Definido pelos organizadores como um desafio para “descobrir quem é melhor, homem ou animal”, nele, os porcos eram perseguidos, atacados e depois violentamente forçados contra pneus. O evento aconteceu na quinta-feira (19) à noite, com equipes de pessoas lutando contra os pobres e inocentes animais, enquanto os espectadores aplaudiam.

Vídeos de homens adultos gritando “não aquele, pegue um suculento” e “aqui porquinho porquinho” foram postados na página do Facebook da Feira. Observar enquanto eles perseguiam, encurralavam e maltratavam o porco, que gritava de terror, era insuportável.

É importante refletir sobre o fato de que não só todo esse tumulto pode se mostrar aterrorizante para os porcos envolvidos, como também a maneira como eles são manuseados poderia ter causado grandes ferimentos a eles. Muitos defensores dos animais estão expressando sua reprovação pelo evento na página do Facebook da Feira.

“Você não concorda que todos os animais, sejam eles animais de companhia ou animais de fazenda, merecem respeito e também tratamento delicado? Eu peço que você cancele o evento de ‘briga de porcos’ e, em vez disso, substitua-o por um evento mais gentil e mais compassivo nos próximos anos”, disse um advogado.

É difícil acreditar que eventos como esse ainda existam; na verdade, é difícil de acreditar que existam seres humanos capazes de criar, participar e divulgar este tipo de crueldade. Se a competição era para descobrir o melhor, “homem ou animal”, podemos dizer que, neste caso, definitivamente é o animal.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA

JAPÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>