Estudo revela que 30% dos jovens suecos são veganos


Um relatório divulgado pelo “Conselho de Ministros Nórdico” descobriu que, atualmente, cerca de 30% dos jovens suecos mantém uma dieta baseada em vegetais. De acordo com as informações obtidas, a principal motivação destas pessoas para cortar a carne e produtos derivados de animais de sua alimentação diária é a tentativa de salvar o meio ambiente – não apenas os animais, mas os ecossistemas e a vida como um todo.

Reprodução | Plant Based News

A notícia não é novidade: eles são apenas parte de uma tendência geral nos países escandinavos. Cada vez mais pessoas têm caminhado em direção ao veganismo – o não consumo de qualquer produto que tenha sofrimento animal envolvido. Dados da pesquisa mostram que, com base na opinião de quase um quarto (24%) dos consumidores nórdicos, o consumo de carne cairá consideravelmente nos próximos cinco anos.

Além disso, mais de um terço (34%) destes mesmos entrevistados disseram que têm aumentado a procura por comida vegetariana; e cerca de 8% dos dinamarqueses entre os 18 e os 35 anos identificam-se como “flexitários” (seriam os vegetarianos “flexíveis”, aqueles que em geral se alimentam de ingredientes de origem vegetal, mas de vez em quando abrem uma exceção e comem carne e derivados). A saúde seria a principal razão pela mudança dos hábitos, mas logo em seguida vêm o desejo de salvar o meio ambiente.

Reprodução | Plant Based News

A pesquisa coincide com dados recentes que mostram uma tendência crescente na Europa como um todo pela busca de uma alimentação baseada em produtos de origem vegetal. Informações da agência de pesquisas Mintel mostram que um número significativo de pessoas em alguns países europeus regularmente abandonam a carne de seus cardápios – quase metade das pessoas que foram entrevistadas na França e na Itália (45%) adotam dias da semana que são livres de carne.

Mesmo países que são famosos pelo consumo desenfreado de carnes, como a Alemanha e a Polônia, têm seguido a mesma trajetória, como informa o relatório:

“Mais da metade dos alemães e dos poloneses entrevistados excluem a carne em alguns dias da semana. E a história parece semelhante em outras partes do mundo: nos EUA, 33% dos consumidores planejam comprar mais produtos alimentícios à base de vegetais no próximo ano – 37% deles são da geração dos Millennials. Mais de um terço (34%) dos consumidores de carne no Canadá concordam que tentam moderar a quantidade de carne que comem devido a preocupações com a saúde”

As gerações mais novas têm sido mais impactadas por essa tendência mundial. Estudos recentes mostraram que publicações de famosos em redes sociais divulgando o veganismo seriam em grande parte responsáveis. E no ano passado empresas de consultoria já previam que a busca por um estilo de vida livre de crueldade estaria em alta no ano de 2018.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AVANÇO

COMPORTAMENTO

'SAVE RALPH'

ÍNDIA

REVOLTA

AÇÃO SOCIAL

MÉXICO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>