Votação é novamente adiada e PL dos Bois deve ser analisado na próxima terça-feira


O projeto de lei 31/2018, conhecido como PL dos Bois, que proíbe a exportação de animais vivos através dos portos do estado de São Paulo, deve ser analisado na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) na próxima terça-feira (24).

(Foto: Fátima ChuEcco)

Na última quarta-feira (18) – dia marcado pela ação do deputado Barros Munhoz (PSB), que atacou o parlamentar João Paulo Rillo (PSOL) por esse defender a aprovação do PL dos Bois -, a votação da proposta foi novamente adiada e, segundo o deputado Feliciano Filho (PRP), que é autor do projeto, “quinta-feira é um dia que historicamente não há quórum para tomar decisões na Alesp. Por isso, provavelmente voltaremos a discutir o PL 31 apenas na próxima terça”.

Na madrugada da última quinta-feira (19), Feliciano divulgou um vídeo no Facebook através do qual comentou o caso do PL 31. As imagens foram publicadas, explicou o deputado, logo após ser finalizada a discussão sobre o projeto no Congresso de Comissões da Alesp.

“Terminou agora o Congresso de Comissões para votar os substitutivos que os nossos opositores, deputados que são contras o PL 31, propuseram. Foi mais uma grande armação, uma grande obstrução, uma grande guerra. Mas hoje ficou muito claro, para todos os presentes, a proteção animal em peso, todo mundo, ficaram indignados, revoltados, nós envergonhados, foi uma coisa que nos envergonha a postura de alguns deputados, pouquíssimos deputados que perceberam que perderiam o voto, perderiam de lavada, e arrumaram alguns artifícios, e estavam defendendo de forma veemente, até obsessiva, agressivos, de uma forma que eu nunca vi na história da Assembleia Legislativa. Mas, conversei agora com o pessoal da proteção animal, até o último grito deles de indignação era o grito de ‘não desistiremos nunca, somos a resistência’. E somos a resistência mesmo, pode demorar um pouco mais, um pouco menos, mas se Deus quiser nós venceremos esta batalha. Os animais não podem se defender, não tem voz e nem tem a quem recorrer”, disse o parlamentar.

Ainda na quinta-feira (19), no período da noite, um novo vídeo foi publicado por Feliciano nas redes sociais. Desta vez, o registro expôs um desabafo do deputado a respeito das obstruções sofridas pelo PL e uma cobrança para que o projeto seja pautado e votado.

“O PL 31 já não pertence mais ao deputado, a essa casa, pertence a sociedade, ao mundo. O mundo inteiro está se manifestando contra o embarque de animais vivos. Israel também já está proibindo. Eu duvido, se nós mostrarmos a pura realidade, sairmos nas ruas perguntando para a sociedade se alguém é a favor de sofrimento. Quem pode ser a favor de sofrimento?”, questionou. “Vai levar até quanto tempo os deputados desta Casa, os funcionários, a sociedade, esta agonia? A que preço? Por que tudo isso? Por que não vai a voto?”, completou.

Feliciano apontou ainda que o fato de existir uma minoria de deputados que seguem obstruindo a votação do PL é um sinal de que esses parlamentares sabem que o projeto tem chances de ser aprovado. “Ai é uma prova, tem consciência que é minoria, porque se não tivesse consciência que é minoria, ia a voto. Usa instrumentos baixos, que é a questão da obstrução”, afirmou Feliciano.

O deputado lembrou também que a dificuldade para votar o projeto se deve ao fato de que o dinheiro está sendo colocado, por alguns, à frente da necessidade de cessar a crueldade da exportação de animais vivos.

“Ninguém suporta mais isso. Por conta da questão financeira. O dinheiro vai ficar na frente mais uma vez? Este país está na situação que está por conta de colocar o dinheiro na frente. Os que as pessoas sentem não vale, o que a sociedade quer não vale, o que a maioria dos deputados desta Casa quer não vale, o que vale é o dinheiro. Até quando? Está insuportável”, disse Feliciano, que também fez uma crítica aos deputados da Alesp devido à postura daqueles que são contrários à votação do PL. “O Brasil inteiro está clamando por isso, por uma gestão transparente. É vergonhoso o que está acontecendo neste país e nós aqui na maior Casa Legislativa da América Latina devia dar exemplo para o Brasil. Não, está caminhando no mesmo sentindo, no mesmo rumo”, reforçou.

Feliciano citou ainda manifestações dos ativistas, que há semanas têm frequentado a Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo para pressionar os deputados e exigir a votação e a aprovação do PL dos Bois. “E quando as pessoas dizem aqui ‘vergonha, vergonha’, estão falando com a alma, com o coração, com o espírito, são manifestações de sua essência enquanto ser humano”, afirmou.

Além de prejudicar os animais, a obstrução da votação do PL também afeta os ativistas e as demais pessoas favoráveis à aprovação da proposta, que vivem uma agonia, e até mesmo os funcionários da Alesp, conforme explicou Feliciano. “Ninguém suporta mais. Os policiais aqui trabalhando até de madrugada por conta de três, quatro que ficam obstruindo. Todos os funcionários desta Casa tem família, fica tirando de suas casas, de seu descanso. São obrigados a ficar aqui por causa de meia duzia de deputados defendendo dinheiro. Até quando, senhores parlamentares que estão nesta minoria? Vamos jogar no plenário, ser democrático, ser soberano e vamos decidir isso em plenário”, concluiu o deputado.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL

INESPERADO

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>