Parque de diversões de aventureiro britânico é acusado de exploração animal


O ex-servidor das Forças Especiais Britânicas, aventureiro, escritor, apresentador de televisão e montanhista britânico Bear Grylls, foi acusado de “explorar avidamente os animais” após revelar a nova atração de seu parque de diversões. Divulgada como uma nova “experiência de mergulho”, os clientes pagarão para nadar com tubarões, baiacus e raias em um grande aquário.

O parque de diversões Bear Grylls Adventure Park, localizado na cidade de Birmingham, no centro-oeste da Inglaterra, está previsto para inaugurar em setembro.

A divulgação da atração que envolve a exploração animal originou uma petição online, que poucas horas após ser divulgada no site Change.org, já contava com cerca de 1.800 assinaturas.

A autora da petição e defensora dos direitos animais, Emily Lawrence, disse: “Em pleno século 21, não há absolutamente nenhuma desculpa para explorar os animais dessa maneira. Devemos incentivar nossos filhos a explorar o mundo e valorizar sua vida selvagem e não vê-lo como uma maneira de obter lucro”.

Lawrence acrescentou que a atração envia uma mensagem completamente distorcida para as crianças visitantes, alterando o verdadeiro significado de conservação.

No aquário serão mantidas diversas espécies marinhas, como Tubarões-de-pontas-negras-do-recife, Baiacu-estrelado, gavião-do-mar e o Peixe-anjo-rainha. Os visitantes também poderão nadar através de corais e de uma mandíbula de megalodon, uma espécie de tubarão gigante que viveu entre 23 e 2,6 milhões de anos atrás no Oceano Pacífico.

O aventureiro Bear Grylls, foi acusado de "explorar avidamente os animais" após revelar a nova atração de seu parque de diversões.
Foto: BGA

Um porta-voz do parque de diversões declarou que a atração, que priva os animais de viver na natureza, e lucra com o encarceramento deles, “aumentará a conscientização sobre os animais e seu meio ambiente”, e que também poderia “fortalecer os esforços de conservação”.

“Eu mal posso esperar que os visitantes possam mergulhar neste mundo subaquático único”, afirmou Grylls.

Esta não é a primeira vez que o aventureiro é criticado por sua postura em relação aos animais. No início deste ano, Grylls foi criticado pelo famoso naturalista britânico, David Attenborough, que condenou o programa de TV “The Island com Bear Grylls” depois que os participantes tiveram que matar animais para alimentarem-se.

Nota da Redação: Aquários e outros locais que aprisionam animais devem ser completamente extintos. Casos como Bear Grylls Adventure Park servem para alertar a população mundial sobre a injustiça e crueldade escondida atrás de locais que mantém animais em cativeiro apenas para divertimento humano. É preciso clarear a consciência para entender e respeitar os direitos animais. Eles não são objetos para serem expostos e servirem ao prazer de seres humanos. As pessoas podem obter alguns minutos de entretenimento, mas para eles é uma vida inteira de exploração e abusos condenados pelo egoísmo humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS

SEGUNDA CHANCE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>