Três atletas veganos são destaque no torneio de tênis de Wimbledon deste ano


O torneio de Wimbledon é o mais prestigiado campeonato de tênis do mundo. Apesar de antigo – ele surgiu no All England Club em Wimbledon, Londres, em 1877 -, está sempre a frente do seu tempo: foi um dos primeiros torneios a permitir que as mulheres competissem, criando a categoria Ladies Singles em 1884.

Reprodução | LIVEKINDLY

Fugir dos estereótipos parece ser uma prática que perdura ao longo dos anos no esporte. Uma quantidade crescente de atletas de tênis atualmente tem recorrido a dietas veganas, baseadas em vegetais, para alimentar a sua carreira e, claro, melhorar a saúde.

Novak Djokovic é um jogador sérvio de 31 anos. Além de atleta, ele abriu um restaurante vegano, Eqvita, em Monte Carlo, em 2016, servindo pratos coloridos inspirados no Mediterrâneo para as multidões locais e turísticas. Em entrevista à Forbes, o jogador descreveu o papel da comida em sua vida: “Como atleta, [a comida] tornou-se algo mais – o combustível que determina como eu jogo, como me recupero e como estou alerta na quadra… eu atribuo grande parte do meu sucesso profissional à minha dieta”. Ele acabou de garantir a vitória sobre o Tenny Sandgren dos EUA durante a primeira rodada de jogos em Wimbledon.

Feels good to be outdoors in the sun and hitting the ball again. Day by day… #nevergiveup ☀️

Uma publicação compartilhada por Novak Djokovic (@djokernole) em

Venus Williams, junto com sua igualmente talentosa irmã Serena, é a definição de potência pura. Se tornou profissional com apenas 14 anos de idade. Hoje com 38 anos, já ganhou 7 títulos de Grand Slam e quatro medalhas olímpicas – tudo isso enquanto lutava contra uma grave doença auto-imune.

A estrela do tênis tornou-se vegana em 2011 para combater a síndrome de Sjogren, aderindo a uma dieta crudívora rigorosa, que parece ter funcionado muito bem para ela. Ela venceu seus dois primeiros competidores em Wimbledon e segue em direção ao seu terceiro jogo.

Um ano mais nova do que sua irmã Venus, Serena seguiu seus passos, reivindicando inúmeras vitórias na quadra. Quando joga na categoria Doubles com sua irmã, elas unem forças e dominam a partida. Mas sozinha Serena não deixa a desejar: ela domina a categoria Singles atualmente. Conquistou o primeiro lugar no ranking da Women’s Tennis Association em oito ocasiões diferentes entre 2002 e 2017.

Adotou o veganismo a princípio temporariamente, em solidariedade à sua irmã quando ela precisou mudar a alimentação para combater a doença auto-imune. No entanto, desde que engravidou e teve sua filha, Olympia, ela tem se dedicado cada vez mais ao veganismo. Serena também avança no torneio Wimbledon depois de vencer suas duas primeiras partidas.

Serena, back to winning ways . #Wimbledon @serenawilliams #TakeOnHistory

Uma publicação compartilhada por Wimbledon (@wimbledon) em


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>