Área florestal desmatada no ano passado corresponde ao tamanho da Itália


O corte e a queima para a criação de fazendas foi o maior responsável pela destruição de florestas em 2017. No total, a área florestal desmatada no ano passado corresponde ao tamanho da Itália, tornando-se o segundo pior ano para a perda de árvores desde que os registros começaram em 2001.

O corte e a queima para a criação de fazendas foi o maior responsável pela destruição de florestas no ano de 2017, a segunda pior já registrada.
(Foto: Jim Wickens/Ecostorm)

Um total de 181.855 quilômetros quadrados foi desmatado, principalmente na Amazônia, na bacia do Congo, Indonésia e Malásia.

O nível chocante de destruição ocorreu logo após o pior ano já registrado. Em 2016, 297.728 quilômetros quadrados de floresta foram arruinadas. No geral, as perdas globais de cobertura florestal dobraram desde 2003, enquanto o desmatamento das florestas tropicais dobrou desde 2008.

Os números, da Global Forest Watch, do World Resources Institute (WRI), com sede nos EUA, mostram que o Brasil sozinho perdeu 27.358 quilômetros quadrados de cobertura florestal.

“As florestas tropicais foram destruídas a uma taxa equivalente a 40 campos de futebol por minuto em 2017”, disse Frances Seymour, do WRI, em Oslo, antes de uma cúpula global sobre a redução do desmatamento.

“Vastas áreas continuam sendo desmatadas para soja, carne bovina, óleo de palma e outras commodities comercializadas globalmente. Grande parte dessa ação é ilegal ”, disse Seymour. “Estamos tentando apagar um incêndio em casa com uma colher de chá.”

Embora seja responsável por uma pequena porcentagem da perda de florestas tropicais, a Colômbia registrou um aumento alarmante no desmatamento, que aumentou em 46% no ano passado. O país perdeu um total de 1.640 quilômetros quadrados de floresta – mais que o dobro das perdas médias do país entre 2001 e 2015.

O WRI relacionou o aumento ao acordo de paz do governo colombiano com os rebeldes das Farc. Nas últimas décadas, os rebeldes limitaram severamente o uso comercial de grandes áreas florestais que controlavam. Com os rebeldes fora do controle, especuladores de terra passaram a limpar as terras para agricultura, mineração e exploração madeireira.

No Brasil, onde um total de 30% de todas as perdas na floresta tropical foram registradas, os incêndios criados por pessoas abrindo espaço para outros usos também foram exacerbados pelas mudanças climáticas.

De acordo com especialistas do WRI, o Brasil recentemente viu uma falta de fiscalização das proibições de incêndios e outras destruições florestais. Isso, associado a um retrocesso nas proteções ambientais do governo do presidente Michel Michel, parece ter aumentado o número de incêndios criminosos.

O Ministério do Meio Ambiente do Brasil disse que não poderia comentar imediatamente porque não havia revisado os dados.

Na Indonésia e na Malásia, o desmatamento foi em grande parte devido à enorme demanda global por óleo de palma.

Ambos os países sofreram um desmatamento intenso, mas na Indonésia, os níveis caíram acentuadamente em relação a 2017. Foi registrada uma queda de 60% em comparação com o ano anterior. Os especialistas atribuíram a queda à maior proteção das áreas de turfa, assim como um ano particularmente úmido, que extinguiu muitos incêndios.

Os números vêm como um relatório influente que diz que a substituição de plantações de óleo de palma por outros óleos vegetais serviria apenas para deslocar a destruição ambiental para outras áreas, ao invés de impedi-la.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>