CRUELDADE

Investigação revela porcos feridos e sem atendimento em fazenda

Os animais sem atendimento veterinário, apresentavam feridas infeccionadas e má cicatrização dos machucados

764

13/06/2018 às 10:00
Por Eliane Arakaki, ANDA

Um jovem porco apresenta má cicatrização nos ferimentos| Foto: Animal Equality

Um jovem porco apresenta má cicatrização nos ferimentos| Foto: Animal Equality

Organizações de bem-estar animal mostraram preocupação sobre a verdade das operações realizadas sob o sistema de garantia e segurança do “Trator Vermelho”, após ter sido descoberto que os porcos em uma fazenda inspecionada pelas ONG´s, possuíam ferimentos graves e infeccionados.

Dezenas de porcos na fazenda intensiva de Lincolnshire, que abastece grandes varejistas, incluindo a Tesco, foram fotografados com ferimentos não tratados, que observadores sugeriram ser causa de “má administração a longo prazo na fazenda”. Mês passado, os funcionários atacaram os animais com um tridente, nesta mesma fazenda.

Os chefões do esquema de garantia Trator Vermelho, que afirma oferecer aos clientes padrões rigorosos em produção agrícola, disseram ter inspecionado o Fir Tree Farm (fazenda em questão) cinco vezes no ano passado.

Mas defensores do bem-estar animal dizem que as imagens “questionam a eficácia” dessas inspeções do Trator Vermelho, porque além de tudo, revela que os porcos possuíam ferimentos infeccionados e hérnias.

“Muitos animais estavam sentindo dores fortes por causa das feridas não tratadas, especialmente aquelas feridas profundas na cauda e as escarras pelo corpo”, disse a porta-voz da Animal Equality, que conseguiu as imagens disfarçada.

Quatro trabalhadores foram demitidos da fazenda no mês passado, depois que filmagens secretas flagraram mais de 100 ocorrências deles chutando agressivamente e repetidamente os porcos no rosto e na cabeça. Os homens espetavam os animais com garfos de metal, borrifavam tinta de marcador diretamente no nariz de um porco e batiam os portões na cabeça dos animais.

Toni Shephard, da Animal Equality, afirma que talvez as lesões tenham sido negligenciadas pois a violência dos trabalhadores foi tão chocante, que obliterou todo o resto, “mas o sofrimento causado pelas feridas infeccionadas é igual, se não maior que o abuso”, ressalta ela.

Nós filmamos vários porcos com ferimentos infectados provenientes de mordida na cauda e escarras graves em todo o corpo, dentro de vários galpões diferentes da fazenda em cada visita que fizemos”, disse ele.
Os consumidores podem realmente confiar no selo de garantia Trator Vermelho se eles não notaram esse sofrimento grave acontecendo?

Os chefes do esquema Trator Vermelho suspenderam a fazenda após os violentos ataques dos trabalhadores terem sido expostos, mas dizem que a mordida na cauda não garante outra suspensão.
Investigadores da Animal Equality afirmaram ter visto dezenas de porcos feridos em várias baias em um grande galpão conhecido como o “quintal de produtores”.

A Dra. Shephard disse que o tédio em condições estéreis ou a agressão decorrente da superlotação, provavelmente estaria por trás das feridas não cicatrizadas: ferimentos na cauda teriam sido causados por porcos mordendo as caudas dos outros e lesões no corpo e pescoço por fêmeas montadas por machos.

Steven McCulloch, veterinário e conferencista da Universidade de Winchester, disse que a moradia insalubre colocava os porcos sob o risco de morrer lentamente de infecções que poderiam subir por sua coluna.
Muitos eram mantidos em pisos de concreto estéril e não tinham nenhuma área separada, como naturalmente se faria, para fazem suas necessidades biológicas, então a sujeira em sua pele era seu próprio lixo, ele disse.

Em um relatório sobre as imagens de vídeo e fotos, o Dr. McCulloch disse: “Os porcos deitados na madeira estão sujos. Esta sujeira é muito provável que seja de fezes. Esses porcos têm feridas abertas na pele causadas por brigas que logo ficarão infeccionadas devido à contaminação fecal”.
Ele disse que o vídeo e as fotografias demonstraram que os porcos estavam estressados e sentiam dor.

O Dr. McCulloch concluiu: “É provável que alguns porcos morram devido aos graves ferimentos na cauda, por exemplo, causados por uma infecção bacteriana ascendente ao longo da medula espinhal, resultando em uma infecção sistémica. Não há prova alguma, com base nas fotografias tiradas, que os porcos estão sendo tratados por essas lesões”.

“Alguns têm feridas profundas causadas por brigas, certamente contaminadas por matéria fecal do local onde eles ficam alojados. Os porcos não foram transferidos para uma unidade hospitalar”, conclui ele.

Um porta-voz do Trator Vermelho citou cinco datas entre fevereiro do ano passado e fevereiro deste ano, nas quais a Fir Tree Farm foi inspecionada por veterinários independentes, que não sugeriram a suspensão do esquema. O surto de mordida de cauda estava sendo tratado pelo fazendeiro, e os porcos haviam sido transferidos para uma baia hospitalar sob os cuidados de um veterinário especialista, disse ele.

“Temos feito um regime de inspeção veterinária robusto, detalhado e frequente na Fazenda Fir Tree”, o porta-voz da fazenda acrescentou.

Tocos de rabo foram mordidos por outros porcos, causando infecções graves | Foto: Animal Equality

Tocos de rabo foram mordidos por outros porcos, causando infecções graves | Foto: Animal Equality

“Os porcos com ferimentos na cauda que estão sobre a palha na filmagem, foram retirados da população geral de porcos e alojados em um hospital onde eles estão recebendo tratamento, o que é uma exigência de nossos padrões.”

Após o flagrante de violência envolvendo os quatro trabalhadores, foi implementado um plano de manejo para a fazenda, que é de propriedade da Elsham Linc, uma das maiores criadoras de porcos da Grã-Bretanha.

“Eu gostaria de enfatizar que nunca iremos ignorar um surto de mordedura de cauda. Surtos graves podem resultar em suspensão ”, disse o porta-voz do Trator Vermelho. “Morder o rabo é uma questão complexa, mas o agricultor, junto com o veterinário, deve colocar em prática um plano para lidar com o problema. Se não o fizerem, serão suspensos. Nós monitoramos de perto que ação eles tomam para pará-lo”.

No entanto, a Dra. Shephard negou que os porcos feridos estivessem em uma instalação hospitalar.
“Você simplesmente não pode ter 20 ou mais animais, alguns feridos e outros não, misturados em uma “instalação hospitalar”. O relatório da veterinária também afirma que os animais feridos não parecem ter sido isolados dos demais”, disse ela.

Ela acrescentou: “Qualquer animal com uma ferida em estado tão ruim deve ser isolado em uma baia, longe dos demais, porque você pode ver claramente em nosso vídeo que outros porcos estão mastigando as caudas de porcos com rabos feridos nestas baias lotadas. Então essas feridas nunca vão sarar”.

Ela rotulou a insistência da Red Tractor, de que os animais estavam em uma instalação hospitalar, de “uma tentativa patética de tentar explicar sua negligência que levou esses animais a ter que suportar um sofrimento prolongado”.

Mas a Red Tractor insistiu: “Em termos de superlotação, as baias hospitalares estão sujeitas às mesmas concessões de espaço que em qualquer outra parte do esquema. Elas são baseadas no peso do porco e inteiramente apoiadas pela ciência. Porcos também podem se agrupar ou se movimentar juntos.

A Fir Tree Farm disse que as alegações da Animal Equality não eram verdadeiras. Um porta-voz disse em um comunicado: “Os animais mostrados nesta parte do vídeo estão na baia hospitalar”.

“Porcos machucados são sempre removidos para uma baia hospitalar onde podemos isolá-los e tratar qualquer ferimento.

“As feridas que podem ser vistas são ferimentos por mordida e não por animais que lutam. O cuidado e bem-estar de nossos porcos é de suma importância para nós ”, finalizou ele.