Procura por laticínios despenca e 52 fazendas norte-americanas perdem contratos vitalícios


“Eu não sei como você ordenha uma amêndoa, mas tanto faz”. Foi o que Alice Diehl, responsável por uma fazenda de laticínios, lamentou em entrevista à emissora norte-americana CBS no início do mês de junho.

A fala faz referência à recente quebra de acordo da processadora de laticínios Marcus Dairy, que cancelou contrato vitalício com cerca de 52 fazendas de laticínios do estado de Nova York (EUA) – e a de Alice Diehl estava entre elas.

Reprodução | VegNews

A mudança contratual veio de uma série de fatores, mas a principal razão foi o declínio da procura do cidadão norte-americano por leite de origem animal e seus derivados. Hoje, o consumidor médio americano bebe 37% menos leite do que em 1970.

A indústria do leite vegetal, em contrapartida, continua a crescer cada vez mais. Segundo pesquisas recentes, ela está prevista para valer por volta de US $ 35 bilhões até 2024.

Os produtores de laticínios de Nova York não estão sozinhos nesta crise; as fazendas de gado leiteiro em todo o país estão se tornando obsoletas. Em maio deste ano, duas marcas de laticínios – a Arla Foods e a Dean Foods, que recentemente investiram na marca de leite à base de linho Good Karma Foods – encerraram seus contratos com dezenas de fornecedores em Wisconsin.

Neste caso, o motivo foi o mesmo apontado pela Marcus Dairy: o aumento da volatilidade do mercado e a diminuição da demanda por leite de origem animal.

Algumas marcas, ao perceberem a mudança no perfil do consumidor norte-americano, estão fazendo a transição de suas unidades de produção para que elas se concentrem em leites de origem vegetal. Exemplo dessa mudança é a Elmhurst, do próprio estado de Nova York, que depois de 80 anos de funcionamento fechou sua fábrica de laticínios em 2016 e reabriu no ano passado como a marca de leite vegana Elmhurst Milked.

Aqui no Brasil a situação não é diferente: recentemente, uma pesquisa mostrou que o número de vegetarianos e veganos está em constante crescimento e o mercado têm acompanhado essa tendência. Cada vez mais marcas de leites e outros alimentos de origem vegetal têm surgido nas prateleiras dos mercados.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>