Instituto autoriza comércio de carne e couro de jacaré no AM


O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), que deveria promover a preservação das espécies, tomou uma decisão contraditória e passou a autorizar o extermínio de jacarés para o comércio de carne e couro no Amazonas.

Jacaré da espécie jacaretinga (Foto: Zuharir Mohamad)

O primeiro município a receber autorização para a pesca do animal foi Uarini, a 565 quilômetros de Manaus. A cidade já conta com matadouro e entreposto flutuante para matar os animais. A região recebeu, nesta semana, permissão para tirar a vida de 1,2 mil jacarés por ano.

O presidente do Ipaam e secretário de Estado do Meio Ambiente (Sema), Marcelo Dutra, afirma que a Licença de Operação Ambiental (LO) terá validade de cinco anos e 6 mil animais das espécies jacaré-açú e jacaretinga poderão ser mortos. Apesar de defender a sustentabilidade, o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá será o responsável por matar os jacarés. As mortes serão realizadas na comunidade rural de Uarini, conhecida como Jarauá, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Mamirauá, no Médio Solimões.

Outras comunidades da região, que contam com a presença de muitos jacarés, já solicitaram autorização para matar os animais. A Colônia de Pescadores da cidade de Careiro da Várzea e o Lago do Piranha, no município de Manacapuru, são alguns dos locais que buscam a permissão.

O presidente da Fepesca-AM, Walzenir Falcão, afirmou que o presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), o deputado David Almeida, comprometeu-se a realizar um evento com pescadores na Assembleia, até o final de junho, para tentar viabilizar um projeto de lei que autorize e regulamente o manejo de jacarés com finalidade para comércio de carne e couro. As informações são do portal Em Tempo.

Uma estrutura promovida por causa da cadeia produtiva, que covardemente irá matar diversos animais, gerou estudos na área e catalogação de animais, além da criação de uma Área de Proteção Ambiental (APA), feita pela prefeitura de Careiro da Várzea, no igarapé dos Reis, com pouco mais de 45 lagos. O vereador Valdemiro Oliveira, que também é presidente da Colônia de Pescadores de Careiro da Várzea, conta que em uma região catalogada de 12 quilômetros lineares, às margens dos igarapés, foram identificados 10 mil animais, além dos ninhos. O número, no entanto, pode chegar a 20 mil ao final da catalogação.

A autorização dada pelo órgão ambiental determina que sejam capturados apenas machos com mais de três metros de comprimento. A restrição, entretanto, não minimiza a crueldade do ato que irá matar animais que deveriam ter o direito à vida resguardado.

Tráfico: 28 kg de carne de jacaré são encontrados em AP

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar encontrou cerca de 28 quilos de carne de jacaré em Macapá, no Amapá, que era comercializada na Zona Oeste do município. O crime ambiental resultou na prisão de uma pessoa.

Carne encontrada era principalmente de filhotes de jacaré (Foto: Batalhão Ambiental/Divulgação)

A PM afirma ter descoberto a prática criminosa após uma denúncia anônima. A maior parte da carne encontrada, segundo informações do G1, era de filhotes.

O homem que foi preso afirmou que recebeu a carne de fornecedores da Ilha de Santana, no município de Santana, a 17 quilômetros da capital.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DIFICULDADES FINANCEIRAS

BELO HORIZONTE (MG)

COVARDIA

CRUELDADE

PROTEÇÃO ANIMAL

ALERTA

VITÓRIA

INVESTIGAÇÃO

FLÓRIDA

JAPÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>