Estresse gerado por fogos pode causar convulsão e parada cardíaca em animais


O barulho ensurdecedor dos fogos de artifício de estampido perturbam animais silvestres e domésticos. O extremo medo e estresse causado podem, inclusive, levar animais a apresentar quadros de vômito, desmaio, falta de ar, convulsão, arritmias e paradas cardíacas.

(Foto: Divulgação)

Além dos problemas de saúde, o som emitido pelos fogos pode ainda fazer com que animais se machuquem ou fujam numa tentativa desesperada de se proteger do barulho.

Entretanto, se por um lado é fácil observar os efeitos negativos causados aos animais domésticos pelos explosivos, por outro é mais difícil qualificar o quão ruim são os fogos para os animais silvestres. Para obter uma resposta em relação a isso, pesquisadores holandeses utilizaram um radar meteorológico, adaptado para localizar aves de grande porte, como gansos. O estudo revelou que as aves apresentavam um quadro de agitação, que durou cerca de 45 minutos. Segundo os pesquisadores, após a observação de três festas de ano novo, foi constatado que as aves levantaram voo logo após a meia noite – momento em que ocorre a soltura dos explosivos – e permaneceram voando em torno dos 500 metros de altitude, quando o usual é até 100 metros. Além disso, algumas aves voaram por longos quilômetros antes de pousar e descansar, o que indica a existência de um carga alta de estresse.

Outro estudo, feito em 2007 por pesquisadores, registrou um grande número de aves marinhas que abandonaram os ninhos após as celebrações do dia da independência, comemorado com fogos em Gualala, nos Estados Unidos.

Foi também nos Estados Unidos, especificamente na cidade do Arkansas, que centenas de aves da espécie tordos-sargentos foram encontradas mortas após as comemorações do ano novo, em 2012. Ocorrências semelhantes foram registradas no estado norte-americano da Louisiana e na Suécia. As informações, da bióloga e educadora ambiental Cristina Zampa Sanchez, foram divulgadas pelo Instituto Últimos Refúgios.

Devido às terríveis implicações do barulho dos fogos na vida animal, e também por causa de incêndios e acidentes causados pelos artefatos, os explosivos foram proibidos em Gualala em 2008, assim como no município de Monrovia, no estado norte-americano da Califórnia.

Os problemas causados pelos fogos de artifício, entretanto, vão além. Na fabricação dos explosivos e também durante a queima, percloratos são liberados. A substância contamina o ar e os corpos d’água e inibe o funcionamento da glândula tireoide, alterando o crescimento, o desenvolvimento e o metabolismo de várias partes do organismo de animais e humanos que entram em contato com o poluente.

Como proteger animais domésticos

Os tutores de animais domésticos devem tomar medidas que amenizem o sofrimento de cachorros e gatos durante queimas de fogos de artifício.

Entre as ações possíveis estão: deixar que o animal tenha livre acesso a locais onde possa se esconder; tentar abafar o barulho dos fogos com cobertores em portas e janelas e com o som de aparelhos que produzam ruído, como televisão, rádio, ar condicionado, ventilador, etc e não deixar o animal sozinho.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

TRATAMENTO

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>