DIZIMAÇÃO

Fungo mortal entre anfíbios pode ter relação com a Guerra da Coreia

Um fungo responsável pela extinção de aproximadamente 200 espécies pode ter origem conectada à península coreana, dizem cientistas

146

16/05/2018 às 17:30
Por Fernanda Cotez, ANDA

Um fungo conhecido por causar o “apocalipse” entre anfíbios e ser responsável por levar mais de 200 espécies de anfíbios à extinção ou quase extinção pode ser associado com tempos de guerra. Recentemente, cientistas descobriram que a origem do fungo mortal pode ter relação com a Guerra da Coreia.

O fungo Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) causa uma doença infecciosa perigosa e que extermina animais já há mais de 50 anos, mas agora estudiosos podem ter descoberto que sua origem está conectada à península coreana.

Simon O’Hanlon, do departamento de epidemiologia das doenças infecciosas do Imperial College London e co-autor do relatório na revista Science, contou ao The Daily Mail: “Em nosso artigo, resolvemos esse problema e mostramos que a linhagem que causou tal devastação pode ser rastreada até o leste da Ásia”.

Fungo responsável pelo extermínio de quase 200 espécies de anfíbios pode ter origem na península coreana (Foto: Matthew Fisher)

Fungo responsável pelo extermínio de quase 200 espécies de anfíbios pode ter origem na península coreana (Foto: Matthew Fisher)

Os cientistas acreditam que a difusão do fungo possa ter se originado na península coreana em algum momento da década de 1950, e teorizaram que as atividades humanas podem ter o espalhado acidentalmente pelo mundo – levando a morte de anfíbios nas Américas, na África, na Europa e na Austrália.

“[A disseminação do patógeno] poderia ter acontecido de qualquer evento, do número cumulativo de eventos, ou talvez de alguns grandes eventos antropogênicos como a Guerra da Coreia”, complementou Simon.

Devastação

O fungo Batrachochytrium dendrobatidis (Bd) é passado de animal para animal e se espalha rapidamente na natureza. É a causa da doença quitridiomicose, que ataca a pele do animal, afetando sua capacidade de regular os níveis de água e eletrólitos e levando à insuficiência cardíaca. Sendo assim, gera uma mortalidade catastrófica e declínio em populações de espécies, enquanto outras são menos afetadas.

Estudos apontam que o fungo pode infectar pelo menos 695 espécies, e já extinguiu ou quase levou à extinção aproximadamente 200. De 2009 a 2012, o fungo destruiu mais de 99% das populações de salamandras-de-fogo holandesas.

A disseminação do patógeno poderia ter acontecido em grandes eventos antropogênicos como a Guerra da Coréia, de acordo com os cientistas (Foto: Matthew Fisher)

A disseminação do patógeno poderia ter acontecido em grandes eventos antropogênicos como a Guerra da Coreia, de acordo com os cientistas (Foto: Matthew Fisher)

Ligação com a Coreia

Uma equipe internacional de cientistas reuniu amostras do patógeno de todo o mundo e sequenciou os genomas. Foram encontradas quatro principais linhagens genéticas do fungo – três das quais são encontradas em todo o mundo, e uma quarta encontrada apenas em sapos nativos da Coreia.

Informações do relatório contam que a análise genética mostrou que “o alcance da doença se expandiu enormemente entre 50 e 120 anos atrás, coincidindo com a rápida expansão global do comércio intercontinental”.

Sendo assim, as descobertas oferecem “fortes indícios de uma proibição do comércio de anfíbios da Ásia, devido ao alto risco associado à exportação de cepas anteriormente desconhecidas de quitrídio para fora desta região”, acrescentou o estudo.