EXPLORAÇÃO ANIMAL

Abusos cometidos a elefantes em templos indianos serão reprimidos

Decisão oficial foi tomada após denúncia de maus-tratos divulgada online pelo jornal britânico The Independent, que iniciou uma série de manifestações públicas no país

Chefes do departamento florestal do estado de Kerala, na Índia, emitiram um alerta informando que qualquer pessoa envolvida em crueldades com elefantes em templos hindus sofrerá “consequências severas” pelos seus atos. Os animais eram explorados em festivais e mantidos em cativeiro nos templos indianos.

O alerta foi incluído em normas enviadas aos guardiões dos elefantes, e qualquer um que tenha levado ou venha a levar os animais a festivais em que eles são explorados de qualquer forma – algemados, agredidos, montados – poderá ter o animal retirado de seus cuidados como punição.

Reprodução | The Independent

 Os festivais que acontecem nos templos hindus são uma tradição muito forte na Índia. Os  elefantes, ícones importantíssimos para a cultura popular, são pintados e trajados com vestimentas alegres e coloridas, para participar de paradas e procissões organizadas em templos religiosos. Cerca de 500 templos na região são explorados para essa finalidade.

Já era de conhecimento público que o templo de Kerala abusava dos animais. O que trouxe os olhares novamente para esse fato foi uma matéria veiculada pelo jornal britânico The Independent, que mostrou a realidade pouco glamourosa por trás desses famosos festivais.

Os animais mantidos lá eram amarrados com cordas ou algemas que comiam suas peles. O “treinamento” que recebiam era à base de agressões feitas muitas vezes com hastes de metal ou anzóis. Eles estavam malnutridos, esgotados de tanto trabalhar e não recebiam qualquer tipo de cuidado médico. Só neste ano, cerca de 10 mortes foram contabilizadas (12, de acordo com o grupo Kerala Suffering Elephants).

No documento veiculado à população, o governo admite uma frouxidão ao implementar as leis que deveriam proteger o bem-estar dos elefantes do templo de Kerala. PK Kesavan, o chefe de conservação das florestas e guardião da vida selvagem, diz: “Tardiamente, tem chegado a mim um grande número de reclamações de membros do público em níveis nacional e internacional sobre os maus-tratos aos elefantes mantidos em cativeiro.”

O que a nova regulamentação pretende fazer é, basicamente, ter um controle sobre quais elefantes entram e saem dos templos e o que acontece com eles enquanto estão lá, nos festivais – mas não prevê nenhum tipo de punição legal (como prisão) a quem quebrar as regras.

Reprodução | The Independent

Kerala é o templo com a maior quantidade de festivais com elefantes da Índia e, só nos últimos 7 anos, 350 deles morreram. Constantemente a água dada a eles é insuficiente relacionada a quantidade que eles têm acesso na natureza, e eles acabam morrendo por bloqueio intestinal.

A organização de defesa dos animais Action for Elephants UK (AfE) considera o tratamento dado a esses elefantes “o pior caso de crueldade animal do mundo” e, durante visita do primeiro ministro indiano à Londres, promoveram um protesto, pedindo para que medidas mais severas fossem tomadas contra os agressores.

Mas a dificuldade de barrar os festivais está principalmente nos desdobramentos negativos que isso teria no turismo indiano. Para o veículo New Indian Express, os protestos foram um insulto. O Departamento de Turismo de Kerala já está trabalhando em vídeos institucionais para tentar limpar a imagem dos festivais.