Dieta à base de vegetais cura doença autoimune irreversível


Clint Paddison, comediante australiano, já enfrentou em sua vida muitos desafios. Um deles, a artrite reumatoide – uma doença autoimune até então irreversível -, fazia com que encarar a plateia antes das apresentações de stand-up fosse algo até simples.

As dores horríveis nas articulações o impediam de fazer uma série de atividades simples que adorava, como correr ou caminhar. Com menos de 40 anos, já tinha sido internado inúmeras vezes e passou por procedimentos cirúrgicos invasivos para tratar de inflamações no cotovelo e joelho.

Comer fazia sua mandíbula doer. Respirar, machucava o seu peito. Por cada mínima parte do seu corpo, Paddison agonizava por saber que, de acordo com os médicos, aquilo só iria piorar com o passar dos anos.

Comediante em uma palestra para TED Talks (Reprodução | YouTube)

Nenhum tratamento funcionava; eles apenas mascaravam as dores, que voltavam com tudo em seguida. As únicas soluções encontradas estavam em cirurgias para substituir seu joelho por um mecânico, e passar o resto da vida sob efeito de remédios para dores.

E Paddison escondia  todo esse sofrimentos e os analgésicos ingeridos atrás das risadas e sorrisos arrancados da plateia durante as suas apresentações.    

Paddison já tinha tentado todo tipo de tratamento para sua doença incurável – dos mais agressivos aos mais naturais. A situação mudou de forma quando, de acordo com o próprio, aconteceu o “incidente da cereja”.

Em um dia qualquer, depois de comer algumas cerejas, ele vomitou e teve diarreia por cerca de 24 horas. Depois de ter o seu corpo completamente limpo e livre de qualquer substância e alimento, ele se viu livre de quase todos os sintomas da artrite reumatoide.

Foi então que ele resolveu pesquisar sobre as relações entre a alimentação e a sua doença. Encontrou uma série de estudos que diziam que uma dieta natural, à base de alimentos vegetais, era a mais indicada para amenizar os sintomas da artrite.

Enquanto pesquisava mais sobre o assunto, ele mudou radicalmente sua dieta: passou a comer apenas alimentos veganos e naturais. E viu seu corpo mudar completamente.

A explicação científica para esse acontecimento são os “microbiomas”. De acordo com um estudo publicado em um jornal de reumatologia britânico: “Nós concluímos que uma dieta vegana muda a flora fecal microbiótica em pacientes portadores de RA (artrite reumatoide), e mudanças na flora fecal estão associadas à melhoria na atividade de pacientes com RA.”

Depois de alguns anos de mudança na alimentação, Paddison voltou a correr e a realizar atividades que imaginava jamais conseguir novamente. Sentiu-se tão inspirado pela descoberta que resolveu usar sua fama para dividir com mais portadores da doença sua experiência e até começou um programa com vídeos no YouTube.

Sua abordagem tem sido apoiada por diversos terapeutas e médicos naturais ao redor do mundo, e seu programa já tem mais de 10 mil participantes ativos.

Essa é mais uma das várias vantagens de uma dieta livre de ingredientes de origem animal. Além de contribuir para o bem-estar dos animais e a saúde dos ecossistemas do planeta terra, ainda temos uma série de consequências positivas para o corpo humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>