Elefantes explorados em madeireiras ganham lar em santuário


Um novo santuário de elefantes promete fornecer um lar seguro para animais aposentados da brutal indústria madeireira que explorou muitos animais. A FourPaws, uma organização internacional de bem-estar animal, iniciou a construção do Lago dos Elefantes na região de Bago, em Mianmar, que será um dos maiores santuários desses mamíferos no sudeste da Ásia.

O Ministério da Conservação Ambiental e Florestal de Mianmar forneceu a terra para o santuário, que pretende reabilitar até 300 destes mamíferos. Enquanto a organização florestal estatal “Myanmar Timber Enterprise” recebeu a tarefa de colocar os animais, a “Mingalar Myanmar”, uma ONG local, fornecerá apoio comunicando-se com os cuidadores dos elefantes madeireiros.

Novo santuário de elefantes em Mianmar pretende restaurar a vida de mais de 300 animais explorados pela indústria madeireira (Foto: Pixabay)
Novo santuário de elefantes em Mianmar pretende restaurar a vida de mais de 300 animais explorados pela indústria madeireira (Foto: Pixabay)

Há cerca de 7 mil elefantes em Mianmar, dos quais cerca de 2 mil vivem em estado selvagem. O restante, está em propriedade privada ou pertence a empresas estatais, e cerca de mil destes últimos são elefantes já idosos que são explorados para trabalho na indústria madeireira. A demanda por esses animais nesse ambiente cruel diminuiu devido aos controles ambientais mais rígidos e, desde os esforços em Mianmar para reduzir a quantidade de desmatamento no país produzida pela produção de teca, esses elefantes não tem sido mais tão necessários.

Os elefantes que estão sob propriedade privada não têm mais nenhum propósito econômico, assim tendem a ser vistos como um fardo para seus guardiões, que acabam os matando ou vendendo para a indústria do turismo, para serem explorados para entretenimento, ainda vistos como atrações na Ásia.

De acordo com o One Green Planet, o Dr. Amir Khalil, veterinário da FourPaws e chefe do projeto piloto, disse: “Esses magníficos animais em extinção não merecem a morte ou uma mudança de carreira igualmente cruel. Em nosso primeiro santuário de elefantes, os animais podem se recuperar dos esforços do passado e, idealmente, serem reintroduzidos na natureza”.

Esses animais são criaturas belas e compassivas, conhecidas por sua inteligência. Quando esses animais acabam na indústria do turismo ou nascem nela, suas vidas são cruéis, muitas vezes gastas inteiramente em correntes e sofrendo nas mãos de treinadores cruéis. O Lago do Elefante reabilitará esses animais em um ambiente adequado e atencioso.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ÓRFÃO

ARTIGO

DESACATO

GENTILEZA

DOR E SOFRIMENTO

EDUCAÇÃO

BENEFÍCIOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>