Canadá está prestes a proibir o aprisionamento de baleias e golfinhos


O Canadá está a um passo da proibição de manter baleias e golfinhos em cativeiro. O avanço seria consequência de um projeto de lei  que será votado em breve, e pretende proibir o cativeiro de baleias e golfinhos em todo o país.

A Lei do Cativeiro das Baleias e Golfinhos (S-203) será avaliada pelo Senado Canadense antes de junho de 2018. Caso aprovada, a medida vai vetar novos casos de cativeiro de cetáceos, permitindo exceções apenas para casos de resgate desses animais e santuários.

O projeto de lei foi introduzido inicialmente há três anos. O responsável, senador Wilfred Moore, alegou que manter baleias e golfinhos em cativeiro é “injustificadamente cruel”, de acordo com o Projeto do Santuário da Baleia.

Embora o S-203 seja geralmente considerado não-partidário, o seu progresso foi implacavelmente parado em todas as fases do processo por senadores conservadores.

Mais avanços contra a exploração de golfinhos e baleias em cativeiro estão acontecendo, desta vez no Canadá (Foto: Pixabay)
Mais avanços contra a exploração de golfinhos e baleias em cativeiro estão acontecendo, desta vez no Canadá (Foto: Pixabay)

O projeto consiste em proibir a exportação ou importação de baleias e golfinhos, sem contar, por exemplo, o transporte de um cetáceo para um santuário ou o resgate de um animal em sofrimento, ou ainda para pesquisas científicas legítimas.

Infelizmente, baleias e golfinhos que já são mantidos em cativeiro, como aquários e parques de entretenimento com a exploração animal, poderão permanecer nas instalações sob a nova lei.

Sendo assim, 51 belugas, vários golfinhos-nariz-de-garrafa e uma orca agora viva em Marineland do Canadá, ainda poderão legalmente sers mantidos em cativeiro. A esperança seria que a pressão pública diante de uma nova lei que abomina o cativeiro de cetáceos encoraje Marineland a destinar seus animais para um santuário, por exemplo. A melhor saída é livrar esses animais da exploração, de uma vez por todas.

Repercussão política

O Comitê Permanente do Senado de Pesca e Oceanos votou a favor do projeto de lei em outubro de 2017 e seu relatório foi adotado pelo plenário do Senado em abril de 2018, o que abre caminho para o debate sobre o tema. De acordo com o senador Moore, que implementou o projeto de lei, não há razão para esperar além do final de maio por uma votação.

De acordo com o Projeto Santuário de Baleias, o senador alegou que “há muito apoio público e parlamentar muito sólido para este projeto em ambos os lados do corredor”.

Baleias e golfinhos já foram explorados por décadas, mas ultimamente avanços mundiais estão acontecendo em todo o mundo (Foto: Pixabay)
Baleias e golfinhos já foram explorados por décadas, mas ultimamente avanços mundiais estão acontecendo em todo o mundo (Foto: Pixabay)

“Temos os melhores cientistas marinhos de todo o mundo apoiando a lei pessoalmente, por escrito ou por videoconferência. Claramente, o público canadense está conosco. Não há dúvidas sobre isso, então não vamos a lugar algum. Nós acreditamos no que estamos fazendo”, exaltou o político.

Se for aprovado, animais marinhos uma vez colocados em aquários ou explorados para entretenimento não serão mais condenados a uma vida de constante angústia e frustração, o que significa amplo progresso no Canadá e nos direitos animais.

Avanços no mundo

Recentemente, a Cidade do México proibiu o aprisionamento de golfinhos em aquários. Além disso, Barcelona sinalizou no último mês extenso apoio aos animais marinhos, proibindo a exploração de golfinhos na cidade, colocando fim em aquários e parques que realizam entretenimento com animais.

A República Dominicana, país conhecido por turismo com cetáceos, proibiu também o comércio de golfinhos local. Também, o público do SeaWorld despencou em mais de meio milhão no último ano, e o primeiro santuário da América do Norte deve ser aberto até 2020. Avanços em cidades e também em países tem sido destaque nos últimos meses, apontando um caminho em prol da libertação desses animais, que foram já explorados por tantos anos.

Com progressos significativos, é comum que outras cidades, países e instituições comecem a agir com mais afinco em cima de legislações que realizem mudanças no comércio de baleias e golfinhos. Projetos estes que devem receber todo o apoio de ativistas dos direitos animais e simpatizantes com o fim da exploração desses animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SUSTENTABILIDADE

NEGLIGÊNCIA

SOFRIMENTO

PORTO ALEGRE (RS)

INSENSIBILIDADE

GOIÂNIA (GO)

MÉXICO

ACIDENTE

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>