Cargas vivas: imagens mostram condições terríveis de animais em navio


Novas imagens aterrorizantes levaram a União Marítima australiana a pedir suspensão de exportações de animais no país. Tripulantes que recolhiam os restos mortais das 2,4 mil ovelhas que morreram no navio de exportação que saiu de Fremantle com destino ao Oriente Médio foram filmados, e os novos vídeos dos maus-tratos e da crueldade das ovelhas que morreram devido ao estresse térmico vieram à tona na luta contra a crueldade intrínseca a esse tipo de translado.

Mais imagens denunciam a crueldade de navios de exportação de ovelhas na Austrália (Foto: International Transport Workers Federation/Animals Australia)
Mais imagens denunciam a crueldade de navios de exportação de ovelhas na Austrália (Foto: International Transport Workers Federation/Animals Australia)

A União Marítima da Austrália solicitou uma suspensão temporária do comércio de exportação de cargas vivas de animais após o lançamento de mais imagens de denúncias, desta vez vídeos que mostraram a tripulação trabalhando para limpar as carcaças das ovelhas, que morreram devido ao estresse térmico em navio australiano em agosto de 2o17.

As imagens foram filmadas no navio Awassi Express pelo denunciante Faisal Ullah, que divulgou anteriormente imagens de cinco viagens da empresa australiana Emanuel Exports para o programa 60 Minutes. Os vídeos foram divulgados à Fairfax Media e mostram a tripulação tentando recolher os restos de ovelhas em decomposição para jogá-los no mar.

As carcaças, ainda ‘frescas’, simbolizando as ovelhas recentemente mortas por calor, desmoronam ao serem tocadas. Uma ex-veterinária responsável pela exportação de cargas vivas de animais, Lynn Simpson, disse ao The Guardian que as imagens mostram que a gordura da carcaça dos animais foi derretida por dentro – literalmente como se os animais tivessem sido cozidos por dentro.

Consequências

Os vídeos foram divulgados dias após o Partido Trabalhista na Austrália ter anunciado ser a favor da proibição do comércio de ovelhas no país.

O ministro da Agricultura, David Littleproud, considerou uma revisão conduzida pelo veterinário de exportação de cargas vivas de animais, Dr. Michael McCarthy, que examinou o gerenciamento do estresse térmico no comércio de ovelhas. O ministro prometeu seguir as recomendações do veterinário, mesmo que elas pedissem o fim do comércio de exportações de ovelhas.

Após a morte de 2,4 mil ovelhas em navio de exportação que saiu da Austrália em direção ao Oriente Médio, denúncias de maus-tratos e crueldade animal têm sido pontapé de mudanças em relação a esse tipo de transportes (Foto: Animals Australia)
Após a morte de 2,4 mil ovelhas em navio de exportação que saiu da Austrália em direção ao Oriente Médio, denúncias de maus-tratos e crueldade animal têm sido pontapé de mudanças em relação a esse tipo de transportes (Foto: Animals Australia)

Littleproud também disse que vai procurar sanções mais duras para os exportadores que violarem as ‘regras de bem-estar animal’ estabelecidas para esse tipo de translado. O secretário nacional da União Marítima da Austrália, Paddy Crumlin, disse em um comunicado que as novas imagens divulgadas mostravam situação que julgou como ‘inferno’, tanto para trabalhadores quanto para os animais.

As filmagens, que foram enviadas na íntegra para os departamentos federal e de agricultura em abril, fizeram também o Departamento de Agricultura australiano processar os navios de exportação Emanuel por infrações de bem-estar animal.

O que seria considerado uma vitória, de fato, seria o anúncio da proibição, do fim da exportação de cargas vivas de animais em geral, uma vez que já está comprovado a crueldade desse tipo de translado. Ocorridos no Brasil já trouxeram as realidades desse transporte brutal para mais perto.

O caso do navio de exportação de 25 mil bois, do porto de Santos com destino à Turquia, mostra as ilegalidades das exportações e os maus-tratos do transporte de cargas vivas de animais, evidenciando que a saída mais humanitária para esses casos seria o fim anunciado dessa prática de transporte de animais.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

AMOR

EMPATIA

AMOR

CRUELDADE

CHINA

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO

COMPAIXÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>